sábado, 26 de abril de 2014

O HUMOR DE MANÉ BERADEIRO - COISAS DE UM PAÍS CHAMADO MOSSORÓ

ESTUPRO NÃO ABUSIVO

Estuprada por um marginal, a estudante (virgem) Marlene fulano de tal, enquanto era atendida pelo médico do Hospital Tancredo Neves, Dr. Hélito Jales, se aproximava das imediações a mãe da vítima, que era consolada ao vivo pelo repórter Elias Pereira: "-Minha senhora fique tranquila que o estupro FOI NORMAL, NORMALÍSSIMO. Não houve aqueles tradicionais abusos, dignos de um grande tarado. Não se desespere, o estupro foi NORMAL, eu repito NORMALÍSSIMO".

referência:

LIMA. Caby da Costa. Mr Mancha 13. p. 53

terça-feira, 22 de abril de 2014

SOBRE ROBERTO FREIRE: UM RICO QUE NÃO PENSOU NO AMANHÃ

Você sabe quem muito foi o Engenheiro Roberto Freire? Não sei muito sobre a particularidade da sua vida familiar, nem tão pouco profissional, mas a literatura local,  em alguns livros de humor e causos trazem histórias que tem a presença de Roberto Freire.
Pelo que já li posso assegurar que foi um homem muito rico, principalmente na década de 30, quando esbanjava fama e dinheiro na pequena cidade de Natal.  Sobre ele Aurino Araújo Filho conta um causo em  que certa vez saiu para uma de suas farras e parou na feira da Rua São José. Observou o preço da carne e só para ter o prazer de gastar dinheiro  comprou duas bancas de carne e ficou numa e o motorista em outra, cada um vendendo o quilo da carne mais barato do que o outro, até que não houvesse mais nenhum grama a ser pesado. Dele também se fala que bebendo em Igapó, alí nas imediações daquela antiga igreja próximo ao rio Potengi, pediu uisque, sua bebida preferida, e como o dono do estabelecimento não dispunha desta mercadoria em suas prateleiras, mas apenas a cachaça, tão comum aos adeptos da branquinha, revoltou-se e perguntou ao dono do bar quanto ele vendia tudo, incluindo o imóvel. Dado o preço, mandou Roberto Freire que seu motorista voltasse ate sua casa e trouxesse a quantia de dinheiro que fora pedida pelo comerciante. Comprou o bar, distribuiu cachaça a todos de Igapó e ainda por cima tocou fogo no estabelecimento. Era um homem que não pensava no amanhã. Um rico sem juízo! Frequentou por bastante tempo o Bar e Confeitaria Delícia, na Ribeira, na década de 40, e jamais deixou de ir aquele bar, mesmo depois que não tinha mais condições financeiras de beber uísque, mas já era adepto da aguardente.  Eis aí um pouco de Roberto Freire, um boêmio que hoje é nome de uma das principais avenidas de Natal, ligando os bairros de Capim Macio e Ponta Negra.

Referências:

GARCIA. José Alexandre. Acontecências e tipos da confeitaria delícia.  Natal: Clima, 1989
ARAÚJO FILHO. Aurino. Irreverências de um ex-gerente de banco.  Natal:  Clima, 1988

COMENTANDO MINHAS LEITURAS : ARRAIA DE FOGO

250 léguas, o que é igual a 1500 quilômetros foi o que o escritor José Mauro de Vasconcelos percorreu em 1953 para juntar material e escrever o livro ARRAIA DE FOGO. O livro foi lançado em 1955 e é uma obra muito interessante para tomar conhecimento sobre a cultura indígena, na forma romanceada.  Foi lendo este livro que  recebi uma aula sobre os costumes dos índios Caiapós, também conhecidos por Txucarramães. O livro faz referência aos irmãos Vilas Boas (Cláudio e Orlando), dois grandes batalhadores da causa indígena neste Brasil. Mas, além disto, o livro tem como objetivo conforme as palavras do próprio autor: Quero apenas apresentar o que realmente existe sobre a dureza da selva, sobre a solidão da vida, que muitas vezes nos pode levar à loucura. A selva nua, sem fantasias jornalísticas ou sensacionalismo de manchetes.  Em Arraia de Fogo aprendemos até algumas palavras da língua carajá , tais quais:
Máitire -> bonito
Quiarré êp -> tomar banho 
Puericó -> boa tarde
Pô erê criê -> está com medo
Para mim, vejo no livro a mais linda das lições que pode existir num relacionamento de amizade, a saber: a fidelidade, brilhantemente retratado entre  Canoá ( o menino índio) e  Caiá ( o homem branco). Sobre isto nada mais direi pois desafio você a ler Arraia de Fogo.

Referência:
VASCONCELOS. José Mauro de. Arraia de fogo. São Paulo: Melhoramentos, 1973.

segunda-feira, 21 de abril de 2014

MINHA MÃE - UMA FLOR QUE A PRIMAVERA NÃO MAIS VERÁ

Raimunda era este seu nome. Simples assim, de uma sonoridade interiorana, uma mulher que nunca teve outra ambição a não ser amar seu esposo loucamente, infinitamente, apesar das inúmeras razões que ele dava para não merecer este amor. Mas, Raimunda o amava sempre. Amanhã, 22 de abril, é a data do seu aniversário, e como filho venho abrir espaço para abraçá-la na dimensão do meu espírito, no calor da minha alma, na sede insaciável que há em meu coração enquanto bater, e pelas chamas do brilho dos meus olhos. Mamãe parabéns! Que tua eternidade seja cheia de paz!

quinta-feira, 17 de abril de 2014

O HUMOR DE MANÉ BERADEIRO: TEOTÔNIO E FERRINHO ARTISTAS DA REDINHA

Um pequenino circo, destes que não tem nem empanada e o assistente tem de levar a própria cadeira, chegou à Redinha. A população humilde vibrou, afinal, diversão ali era coisa rara. Estamos falando dos anos 40.
Querendo retribuir as inúmeras atenções recebidas, o dono do circo resolveu encenar o drama da Paixão de Cristo. Convidou dois jovens do lugar para viver a cena em que o centurião prende Jesus, no Jardim das Oliveiras.  A cena não tinha nada de difícil. O centurião chegava e perguntava:
--Sois vós, Jesus Nazareno, o que se intitula o Filho de Deus?
e Jesus:
--Tu o dizes!
Então o centurião explicava a missão de que fora incumbido:
--De ordem de Caifás, o Supremo Sacerdote, considerai-vos preso, por desrespeito às Leis Judaicas.
E Jesus, levantando-se, humilde:
--Seja feita a vontade do Senhor.
Os dois jovens escolhidos foram Teotônio e Ferrinho, os quais muito nervosos, exageravam nas biritas antes de pisar o picadeiro. Sei que, quando o centurião (Teotônio) entrou, vinha com a moléstia:
--Quem é um tá de Jesus Cristo, aqui?
Jesus (Ferrinho) não aceitou o tom provocativo. Em bons termos, como ensaiado, vá lá, mas na base da intimidação, não. Levantou-se num repelão e respondeu atrevido:
--Sou eu! E o que é que há?
Teotonio encostou a espada na barriga de Ferrinho e berrou arrogante:
--Teje preso! Cabra safado!
Ferrinho, para salvar o espetáculo, com toda a pachorra, levantou o polegar esquerdo ( um gesto da influência americana em Natal) e pronunciou:
-Ok my friend!

Referência
GARCIA. José Alexandre. Acontecências e tipos da confeitaria delícia. Natal: Clima, 1989. pág 77-78.

segunda-feira, 14 de abril de 2014

O PAPA E NAPOLEÃO

Em 1802, precisamente no dia 15 de abril daquele ano começava a vigorar a convenção assinada em julho de 1801, entre Napoleão Bonaparte e o Papa Pio VII. Nela, Napoleão tinha o poder de nomear bispos e arcebispos e o Papa fazia a instituição canônica. Naquela época Napoleão foi citado nos catecismos da Igreja  Católica como "Ministro do Poder de Deus sobre a Terra".

quarta-feira, 9 de abril de 2014

COMENTANDO MINHAS LEITURAS: RUA DESCALÇA

Não estou escondendo de ninguém que tenho uma paixão pela obra do escritor José Mauro de Vasconcelos, tudo que se refira a ele me atrai. Seu clássico "O Meu Pé de Laranja Lima", já li quatro vezes. "Barro Blanco" li uma vez e hoje terminei a leitura do livro "Rua Descalça".  Escrito entre 1968 a 1969, o livro mostra a vida em duas realidades: a dos homens com dinheiro e a dos que não tem dinheiro. Trata de valores que vão muito mais além do que os bens materiais. É cheio de imagens e de bondades, principalmente quando entram em cena Ananias e Antão.  Um livro que merece ser divulgado no seio da juventude.  São apenas 187 páginas distribuídas em 14 capítulos.

segunda-feira, 7 de abril de 2014

AGENDA DE MANÉ BERADEIRO


Dia 15 de abril -  Abertura das Olimpíadas da Língua Portuguesa - 2ª DIRED, auditório do IFRN, em Parnamirim,  8 horas.

Dia 16 - As Duas Páscoas - 7:30 hs - Escola Municipal Íris de Almeida - Monte Castelo, em Parnamirim.
              As Duas Páscoas - 10 hs - Escola Municipal Aureo Paiva, em Monte Alegre.
              As Duas Páscoas - 14 hs - novamente no Íris de Almeida

HOJE A TARDE NA PAULINAS LIVRARIA













domingo, 6 de abril de 2014

PALHAÇO LEITURINO VOLTA À PAULINAS

O Palhaço Leiturino volta a se apresentar no auditório da Paulinas Livraria, em Natal, na tarde desta segunda feira, dia 7, às 14 hs. A turma  desta segunda será formada por 50 alunos do Colégio Salesiano Zona Sul. Leiturino fará uma contação de história sensitiva e outras mais. Será uma tarde de alegria para os pequeninos.

quinta-feira, 3 de abril de 2014

TORPEDO DE MANÉ BERADEIRO 001/2014

O povo diz assim:  "é cedo que se formam os costumes". A Bíblia, por sua vez, declara: "Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho,  não se desviará dele" Provérbios 22:6

Marina Elali - Encontrei (Clipe Oficial)