sábado, 6 de outubro de 2018

COMENTANDO MINHAS LEITURAS: VOO NOTURNO

Exupéry  o grande e conhecido escritor do livro O Pequeno Príncipe, também escreveu sobre temas relativos à sua  profissão  de aviador. Li recentemente  Voo Noturno, um romance, seu segundo livro, premiado em 1931. É  um livro que transborda solidão, mas que foi construído com maturidade mostrando a pugna daqueles que enfrentavam a fúria da natureza  para  nós trazer as correspondências  tão  esperadas. Voo Noturno foi logo considerado um bom livro pela crítica  da época,  passados 86 anos, o texto continua impactante, belo, clamando ao leitor que o encontre e descubra o que o autor quer nos dizer.  Pessoalmente achei lindo o texto das páginas 64 e 65, nas quais o protagonista é  visto e amado pela sua esposa.  Fica a dica,  conheça  mais de Exupéry.

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

CANÇÃO DO CANAVIAL LIVRO CORDEL DE MANÉ BERADEIRO

#AtracaoCultural #Cordelizando #Cultura Na I Edição do "Cordelizando: Do Povo Para o Povo", o artista Mané Beradeiro estará lançando seu livro "Canção do Canavial". Mané conta-nos um pouco de sua obra, como podem ver. O evento será realizado dia 28, a partir das 19h, aqui na Biblioteca Pública de Ceará-Mirim.

domingo, 16 de setembro de 2018

MACACO QUE LER É OUTRA COISA


MACAU TEM ACADEMIA DE LETRAS E JOSÉ MAURO DE VASCONCELOS É PATRONO DA CADEIRA 8


ANLIC E ACLA REALIZARAM ONTEM SUAS SESSÕES

 O sábado de ontem foi atípico. Participei de duas sessões. A primeira pela manhã, na Estação do Cordel, em Natal, com os confrades da Academia Norte-Rio-Grandense de Literatura de Cordel. Entre os assuntos tratados eu destaco a  abertura de 4 novas inscrições, brevemente em edital a ser publicado, referente as cadeiras que ainda não foram ocupadas. A sessão também aprovou dois sócios correspondentes: Aurineide Alencar (MS) e Antonio Seixas (RJ).
À tarde, em Ceará-Mirim, participei na sede da Academia Ceara-mirinense de Letras e Artes - Pedro Simões Neto - ACLA da outra sessão. Nesta  tratamos sobre o aniversário da ACLA, as comemorações culturais e a abertura da sede à comunidade, sempre com a presença de algum acadêmico.

sábado, 15 de setembro de 2018

ASSIM DISSERAM ELES ...

Em tempo de eleição  quando  muitos  entram na privacidade  e no direito de você  escolher  quem quer eleger, lembrei-me desta frase que há num livro póstumo  de Policarpo Feitosa, pseudônimo  de António José Melo e Souza (1867 -1955), e que foi por duas vezes governador do Rio Grande do Norte. Ei-la:

"CONSELHO E  TABACO SÓ  SE DÃO  A QUEM PEDE"

Fonte: FEITOSA, Policarpo. Quase romance...Quase memória.  Natal/RN: Imprensa Oficial, 1969, p. 102.


quinta-feira, 13 de setembro de 2018

100 ANOS DO NASCIMENTO DE TARCÍSIO MEDEIROS

A lembrança  dos 100 anos de Tarcísio  Medeiros não  passou em branco pelo seus adultos admiradores e instituições  pelas quais ele passou. Neste momento acontece no salão  nobre da Academia Norte Rio Grandense de Letras a cerimônia em homenagem ao seu Centenário. 

A DUPLA DA CULTURA POPULAR: ANANIAS E MANÉ

Ananias, jumento esperto, amigo inseparável  de Mané  Beradeiro, dupla que simboliza cultura popular, alegria com gosto do nordeste, com cheiro de chuva e a beleza do Carcará. Ele, Ananias representa a resistência  da raça que muito ajudou os sertanejos a desenvolverem o Brasil. Bicho sagrado, presente na História  da Salvação,  de Abraão a Jesus Cristo. Companheiro de viagens nestas estradas  de barros. Guardião  de juras e fugas de amor nas madrugadas. Eita, jumento irmão! Avante, que você é Mané continuem a mostrar a esta geração  que carregar livros,  lê-los, é  melhor que transportar cargas de ignorância no lombo da existência.

Francisco Martins
13 setembro  2018

quarta-feira, 12 de setembro de 2018

ESCOLA NESTOR LIMA RECEBE MANÉ BERADEIRO

Uma Biblioteca que tem como patrono um escritor que foi um dos maiores difusores da cultura nordestina na literatura e que soube promover uma arte erudita com elementos da cultura popular como Ariano Suassuna tem mesmo é que celebrar a literatura popular.  


https://3.bp.blogspot.com/-xncyq38W770/W5lgzggPK6I/AAAAAAAAKco/FLRVl74nb6YkBcwZsaM5DWD0E-YiCeTHwCLcBGAs/s1600/DSCN0034.JPG           A tarde do dia 12 de setembro foi marcada pela presença do escritor e brincante Francisco Martins que, a convite da Escola Municipal Nestor Lima, trouxe o tema do folclore para os alunos do Fundamental ll através do seu personagem Mané Beradeiro.  Na oportunidade, também foram lidas "As Proezas de João Grilo" do escritor parnamirinense José Acaci. 


E a tarde foi, então, marcada por quadrinhas, cordéis, trava-línguas e brincadeiras promovidas pelo também pesquisador da cultura popular que trouxe o 'Jumento Ananias',  que se apresentou como leitor, dentre outros bonecos seus articulados. A mediadora de leitura Maria do Carmo Fontenelle celebrou os mais de oitocentos livros emprestados em 2017 e lembrou as palavras do patrono Ariano Suassuna: "Quem gosta de ler não morre só”. 

         De fato, o aconchego de um bom livro e a companhia de escritores como Ariano ou Francisco Martins é bálsamo para a ausência de companhia.  Sigamos juntos!


 https://3.bp.blogspot.com/-xr2BvgUWd3Y/W5lkaQBLC_I/AAAAAAAAKc8/Fo3OZAgS2gw6nLhVPBF6bq61dT6bBEuxwCLcBGAs/s1600/DSCN0045.JPG
Texto de Angélica Vitalino

AUTA DE SOUZA É TEMA DE PALESTRA NO IHGRN

A poeta Diva Cunha faz agora à  noite, no salão nobre do Instituto Histórico  e Geográfico  do Rio Grande do Norte,  uma palestra sobre a autora do Horto, a poeta Auta de Souza. A palestrante enfoca  a temática de Auta, fazendo amostragem da sociedade  da época.  Uma excelente palestra

DEUS NO COMANDO



Se  for  Haddad quem ganha
Eu não vou me preocupar, pois sei que todo poder
Emana de  EL  SHADDAY. Rancor não irei guardar.
Se for Ciro o vencedor também não  terei pavor
Pois ELOHIM,  o Deus a quem eu sirvo é Onisciente, sabe antes da História
O que nos fará contente.
Se for mesmo presidente, Bolsonaro,  o  capitão,
Terei JEOVÁ NISSI,  cuidando desta nação.
Se Marina for eleita, não será por perfeição,
Nem porque pintou o rosto,
Nem por ter bom coração,
Mas foi KADOSH quem quis lhe dar tão nobre missão.
Se Alckim não comer o pão que o diabo amassou,
Se desviar o maná que neste solo chegou, dificilmente será presidente do Brasil.
Mas JIREH não vai deixar o povo com fome ficar.
Se for Álvaro  o presidente,
Que dias poderão vir com Álvaro na Alvorada?
EL RAÍ nos dirá, Ele é misericordioso.
Se o povo chamar nas urnas Meirelles para o Planalto
Solução não faltará para tudo resolver.
TSIDIKENU no controle, Brasil em seu poder.
Se for eleito Amôedo, o mais rico da eleição?
Ah, dinheiro não é problema quando não há corrupção!
EL CANÁ  com o povo ficará.
Se tudo virá um bolo e Boulos presidenciar
Aí eu tremerei na base da minha fé, mas depressa lembrarei
De JEOVÁ-RAFÁ,  pedirei a sua cura  para ele governar.
Em tudo tenho certeza: DEUS NO COMANDO ESTÁ!

Mané Beradeiro
12 de setembro 2018 


segunda-feira, 10 de setembro de 2018

CORDEIS DE MANÉ BERADEIRO NA FEIRA DE LIVROS DA UFRN

Começou hoje e  vai até o dia 14 de setembro, a Feira de Livros no Centro de Convivência da UFRN. Minhas produções podem ser encontradas no stand do Sebo Gajeiro Curió, de Oreny Jr.



MANÉ BERADEIRO TEM PAGINA NO FACEBOOK

Agora o leitor e admirador de Mané Beradeiro poderá  conhecer um pouco mais de tudo que ele escreveu visitando a fanpage no Facebook Mané Beradeiro.
Lá além de ver todos os folhetos que estão disponíveis para venda e outros livros assinados por Mané Beradeiro, o visitante poderá ver brevemente outras ações que serão compartilhadas naquele espaço.  Desta forma pretende Francisco Martins alcançar um maior número de pessoas que ainda não conhece o trabalho que ele realiza através da literatura de cordel e suas aulas lúdicas. Visite, dê uma curtida e divulgue em suas redes sociais.

 

domingo, 9 de setembro de 2018

COMENTANDO MINHAS LEITURAS: AS AVENTURAS DE DORINHA

Clecia  Santos lançou recentemente um livro infantil,  As Aventuras de Dorinha (Offset Editora 2018). Bilíngue, com texto em português  e inglês (tradução  de Mônica  Maia) e ilustrações  de Flávia  Duarte. O livro tem seus valores pelo projeto gráfico, a boa distribuição  dos textos nas páginas e o tamanho da fonte, que me leva a crer ser destinado para um público  infantil que está  se familiarizando com o vasto universo das palavras. 
Nele vamos encontrar uma família que vai dividir o seu espaço  com uma cachorra. Permita-me autora Clecia Santos dizer que você  deveria ter explorado mais o mote do conto. Afinal, como o próprio título  sugere são aventuras, no plural, e tudo que consegui absorver  foi um dia da vida de Dorinha no seio daquele lar. Virão  outras aventuras? Seu livro tem valores extremamentes  necessários  para nossa sociedade, é possível  ver  nas entrelinhas cumplicidade  entre as irmãs,  a harmonia  do lar, a criatividade  infantil, a importância de um animalzinho  de criação e a responsabilidade de pequenas  tarefas  que as crianças  podem executar.  Achei o início da história  carente de lapidação.  Faltou uma acolhida  convidativa ao leitor,  algo mais "enconfeitado", com cheiro e sonoridade do tão  propalado "Era uma vez..."  Entende?
Tomara que está crítica  seja compreendida. Fi-la  na sublime intenção de que seu trabalho literário  receba de forma objetiva  e construtiva um olhar de leitor amadurecido  que deseja ver  o nome de Clecia Santos sempre crescente.
Francisco Martins