terça-feira, 27 de junho de 2017

ANA PIROLO E O SEU MAIS NOVO LIVRO: A SENHORA DO PARQUE


Ana Pirolo é formada em publicidade e marketing pela Escola Superior de Propaganda e Marketing – ESPM – São Paulo. Mestre em Ciência da Informação pela PUC Campinas/SP. Iniciou sua carreira, em 1987, em uma grande agência de publicidade em São Paulo: Norton Publicidade http://nortonpublicidade.com.br/).
(
Retornando para o Vale do Paraíba, trabalhou no departamento de marketing do CenterVale Shopping e, em seguida, atuou em pequenas agências de propaganda das cidades de São José dos Campos e Taubaté. Atuou como supervisora de marketing do Clube de Compras Apoio, em São José dos Campos e, em pequenas gráficas.
Trabalhou como responsável pelo conteúdo do Jornal Espaço OFF (já extinto), impresso e online.
Foi docente do SENAC – São José dos Campos, em Marketing nas áreas de Gestão Empresarial, Informática, Turismo e Hotelaria. Dedicou-se, até junho de 2007, à Coordenação do Curso Técnico em Publicidade do Colégio Técnico UNIVAP Villa Branca Jacareí e à Agência Experimental FOCO, agência de propaganda e marketing destinada aos  estagiários de publicidade.
Foi docente da FMA – Faculdade Maria Augusta, também na cidade de Jacareí, desde 2002. Atualmente a FMA integrou-se ao grupo Anhanguera Educacional. É docente em cursos de graduação e pós graduação.
É artista plástica e escritora –www.galeriaanapirolo.com.br, em São José dos Campos.

Referência:
 https://galeriaanapirolo.wordpress.com/sobre-ana-pirolo/ Visualizada em 27 jun 2017

segunda-feira, 26 de junho de 2017

ASSIM DISSERAM ELES...





Quem vai buscar lã muitas vezes volta tosquiado. 

Dom Quixote


Referência
LOBATO, Monteiro. Dom Quixote das crianças. São Paulo . Ed. Brasiliense, 1968

domingo, 25 de junho de 2017

MAIS UM FOLHETO COM A ASSINATURA DE MANÉ BERADEIRO

O poeta Mané Beradeiro assina mais um folheto que vem crescer a coleção de cordéis com temas bíblicos. " Os dois pastores", um texto que trata sobre a missão dos pastores, homens chamados por Deus para cuidar do rebanho em  sua Igreja. Com esse título, o 44º folheto, Mané Beradeiro  passa a ter publicado dentro  desta série 22 folhetos que tratam sobre evangelismo, igreja, bíblia e outros temas correlatos.

O HUMOR DE MANÉ BERADEIRO - FALAR E FAZER


O Padre estava admirável naquele seu sermão. A Igreja lotada ouvia com muita atenção tudo que ele falava sobre os valores cristãos. Ele acentuava que a fé sem as obras é morta, citando o trecho da Carta de Tiago: "Meus irmãos, qual é o proveito, se alguém disser que tem fé, mas não tiver obras? Pode, acaso, semelhante fé salvá-lo?" (Tg 2:14) E nesta cadência continuou o sacerdote sua bela homilia sobre a caridade. Finda a missa, depois que saíram todos, o sacristão já estava fechando as portas do templo, quando entra um mendigo suplicando uma esmola.
-Padre, por favor me dê uma ajuda!
-Perdoe
-Como?
-Per-do-e - falou  - soletrando
E o mendigo que  acompanhara tão empolgante pregação, lá na porta da Igreja, falou:
-Perdoe não enche barriga. Soque seu perdoe no rabo!

Moral do causo: Entre falar e fazer há muito o que fazer

TESTEMUNHA



Eu ainda vi seus últimos momentos
Sou testemunha da sua partida!
Morreu atropelada no trânsito.
Rolou,  tentando não ser esmagada.
Foi tudo em vão.
Dela sobrou tão somente uma pasta.
Um catador de alumínio a levou.
Foi mais uma lata que se unia as outras.
O sangue negro do imperialismo não morre!

Francisco Martins
0505.2017

sábado, 24 de junho de 2017

ACABOU-SE!



Eu sei que quando acabar vão disser:
-Era bonito, bom, gostoso!
Eu tenho certeza absoluta que vai ter aquela que exclamará:
-Ah! Se eu soubesse que ia terminar logo. Tinha comido mais e mais.
E, àquelas que não foram audaciosas, hão de  espalhar pelas redes sociais:
-Acabou.  Comeram todo o queijo gorgonzola!

Francisco Martins
Natal-RN, 8.02.2017

sexta-feira, 23 de junho de 2017

CURIOSIDADE LITERÁRIA - MACHADO DE ASSIS


No último dia 21 de junho  assinala a data do natalício de  Joaquim Maria MACHADO DE ASSIS (1839) a exatos  178 anos. O maior escritor do Brasil  exerceu várias funções e profissões, no site da ABL diz que ele foi:
1) Tipógrafo
2) Revisor
3) Crítico Teatral
4)  Cronista
5) Romancista
6) Contista
7) Jornalista
8) Poeta
9) Teatrólogo
10) Oficial de Gabinete do  Ministro da Agricultura - Manuel Buarque de Macedo
11) Diretor da Diretoria de Comércio da Secretaria de Estado dos Negócios da Agricultura, Comércio e Obras Públicas.
12) Diretor Geral da Aviação
13) Secretário dos Ministros: Severino Vieira,  Epitácio Pessoa e Alfredo Maia
14) Diretor Geral de Contabilidade do Ministério da Indústria, Viação e Obras Públicas.

Tive a curiosidade e observar com cuidado e anotar tudo que ele foi e trabalhou, para confirmar se realmente ele chegou a exercer em algum tempo , a profissão de  relojoeiro, conforme ele mesmo escreveu, numa crônica datada de 7 de março de 1889.  Nessa crônica ele diz que trabalhou como relojoeiro e que deixou a profissão por causa da vista fraca.

Teria sido realmente relojoeiro?  Por que a Academia Brasileira de Letras não reconhece esta profissão na lista dos dados biográficos?


Referências

Disponível em:http://www.machadodeassis.org.br/. Visualizada em 23 jun 2017

ASSIS,  Machado. Bons Dias e Notas Semanais. São Paulo; Globo, 1997, p.57


MANÉ BERADEIRO LANÇOU ONTEM SEU MAIS NOVO CORDEL

Mané Beradeiro  (foto de Tonha Mota)
Foi  no dia de ontem, pela manhã e à tarde, que o cordelista Mané Beradeiro esteve na Estação do Cordel, na Praça Padre João Maria, Natal-RN,  autografando seu mais recente folheto de cordel, que homenageia  Dindinha, a avó de Auta de Souza, Henrique Castriciano, Eloy de Souza , João Câncio e  Irineu. O folheto tem como título: "A avó com a saia de merinó - a poética história de Dindinha". Foi todo confeccionado em estilo cartonero, trazendo o selo da editora Carolina Cartonera. Com esse trabalho, o poeta Mané Beradeiro começa uma série de folhetos literários, voltados à grandes vultos e assuntos da literatura do Brasil, sendo alguns do Rio Grande do Norte. A série sempre sairá na primeira edição com 100 folhetos, devidamente numerados e rubricados pelo autor. Quem desejar adquirir o folheto pode buscar na Estação do Cordel ou entrar em contato com o autor através do e-mail: franciscomartinses@gmail.com ou (084) 9. 8719 4534. Valor R$ 10.00.

CENTRO EDUCACIONAL ATUAL DE PARNAMIRIM ADOTA LIVRO "DOUTOR BUTI"


O Centro Educacional Atual é uma escola particular que está sediada no bairro Santos Reis, em Parnamirim-RN. Essa semana o escritor Francisco Martins foi convidado a comparecer a escola, onde em contato com a direção pedagógica daquela instituição fechou contrato de parceria, no qual o seu mais recente livro "Doutor Buti" será adotado como paradidático.
O Atual já está trabalhando obras de Carlos Fialho, com outras turmas e no segundo semestre, Francisco Martins e Carlos Fialho estarão abrilhantando a Iª Feira Literária do Atual.

O HUMOR DE MANÉ BERADEIRO: QUE JOÃO É ESSE?


Hoje é a véspera de São João, um dos santos mais queridos e festejados no período junino. João Batista, um profeta, o que batizou Jesus Cristo e anunciou: "Eis o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo" (João 1:29).
João Batista foi um homem estranho à sua época: vestia-se com pele de camelos e se alimentava de mel silvestre e gafanhotos. Um cardápio exótico. Morreu cedo, foi decapitado, porque denunciava o estado pecaminoso em que vivia o Rei Herodes. Mas, na cultura popular, João é sempre lembrado como o menino de cabelos encaracolados que tem nos braços um cordeiro.
O quê na verdade quero registrar, é que alguns anos, quando eu era adolescente, num pequeno povoado do Rio Grande do Norte, estava sendo celebrada a festa de São João Batista, padroeiro daquela localidade. Após a cerimônia religiosa na pequena capela, houve no átrio do templo, festejos com músicas, barracas com comidas típicas, bailes e uma grande barraca com leilão e bebidas, cuja renda seria em prol da reforma da capela de São João Batista.
Tudo naquela noite estava perfeito até aparecer Chiquinho de Lola, que comeu, bebeu, mandou servir bebidas a todos os amigos e depois de algumas horas na festa, quando pediu a conta, perguntou se poderia pagar com cheque ( na época ainda existia o BANDERN - Banco do Desenvolvimento Econômico do Rio Grande do Norte). O responsável respondeu que sim. Chiquinho de Lola puxa do bolso um talão de cheques e preenche o valor, cruza o cheque e para sua maior garantia tem até o cuidado de nominá-lo, a quem?  É claro que foi a São João Batista!
Pense numa dívida que deu trabalho a ser paga.

sábado, 17 de junho de 2017

NUDEZ IMPERIAL



Ela , na manhã de sexta-feira,
em plena rua,
sem medo
nua!

Ela, no meio de tanta gente,
vegetal imperial,
só o bem
ual!

Ela estendeu a roupa
ali, perto, no varal,
vivia
descomunal.

Francisco Martins 17.06.17

sexta-feira, 16 de junho de 2017

OS DOIS PASTORES

Mané Beradeiro
Eles estão diariamente a serviço da Igreja, diuturnamente, sempre dispostos a estender a mão e ajudar aqueles que necessitam. São os pastores, homens dedicados à causa da evangelização. Domingo último foi o Dia do Pastor, e naquela semana eu fui procurado pela  amiga Simone Leite para escrever um cordel que falasse sobre os dois tipos de pastores, o verdadeiramente vocacionado e aquele que faz do ofício um instrumento da prática de simonia (é a venda de favores divinos, bençãos, cargos eclesiásticos, prosperidade material, bens espirituais, coisas sagradas, perdões, objetos ungidos, etc.). Sabia que o folheto não ficaria pronto a tempo de ser apresentado naquele domingo, mas a ideia foi amadurecendo e nos últimos minutos de ontem o cordel foi concluído. Dedico-o ao poeta e Pastor Marco Lianza, homem imenso, literalmente, com quem tive o privilégio de conviver por algum tempo e dividimos o palco num show chamado "Misturando os Versos". Publico o texto na íntegra e ao longo das estrofes fui lembrando de outros homens que  são exemplos deste chamado.




OS DOIS PASTORES
 

Marco Lianza















1)
Nestes versos sextassílabos
Vou louvar com gratidão
A figura do Pastor
Homem de bom coração
Que por Deus foi escolhido
Pra cuidar da salvação.
 
2)
Salvação daquelas almas
Perdidas na ilusão
De quê longe de Jesus
Podem ter filiação
Com o Pai – Verbo – Eterno
Fonte de inspiração

3)
A corrupção comeu
Do homem a coragem
Coração tão desumano
Perdeu rumo na rodagem
Anda é desenfreado
Só maldade na bagagem

4)
O mundo está virado
É tudo esculhambado
Parece que os valores
Foram todos dissipados
Na floresta desta vida
Sobra lobo mantilhado

5)
No meio de tantas feras
Deus protege os que ama
Na Igreja, arca santa,
Há mácula e a lama,
Pois onde o homem pisa
Nasce a vida num drama

6)
No Livro que é sagrado
Deus mostra com atenção
Desde Melquesedeque
O valor dum coração
Voltado para o altar
Lugar de adoração

7)
Lá no tempo de Moisés
No Antigo Testamento
Foi vontade do Senhor
Que criou o Firmamento
Fazer a separação
Dos Levitas juramento.

8)
Dos filhos de Israel
Levitas iriam cuidar
Das coisas do Tabernáculo
No deserto a andar
Deus escolhe seus benditos
E ninguém pode mudar

9)
A história da Igreja
Tá cheia de santidade
Vez por outra aparece
Perturbando a liberdade
Um lobo todo bonito
Mas repleto de maldade

10)
Para saber conhecer
Um  Pastor que é real
Pergunte se o cristão
Sofrerá de algum mal,
Se mais vale o dinheiro
Ou amor eclesial?

11)
Dependendo da resposta
Você logo notará
Qual o tipo de pastor
Que você vai abraçar.
Um vai lhe massagear,
O outro lhe guiará

12)
Esta é a diferença
Daquele que tem amor,
Pois o outro, vê na alma
Tão somente um pagador,
Um besta que se engana
Pela fala do “pastor”

13)
É ele falso profeta
Que nega a sã doutrina,
A mais pura da verdade
Que a Bíblia nos ensina
Deturpa a caridade
De Jesus não se aproxima

14)
Sua boca insolente
Promete o Céu na Terra,
Carro, casa e dinheiro,
Nele tudo se encerra
Só fala prosperidade
É a própria besta fera.

15)
Mas nem tudo é perdido,
Pois Deus Pai Onipotente
Acompanha a história
Ele é Onisciente
Dele nada se esconde,
Único Onipresente.

16)
Se há lobo que devora
As ovelhas sem aprisco
É preciso oração
Pois nós todos temos cisco
E somente em Jesus
Nos livramos deste risco

17)
Mas nem sempre é assim
Há ovelha que permuta
Branca lã por couro seco
Perde tudo em vã luta
Por ela, o Bom Pastor
Mantém viva a disputa

18)
O Pastor que é leal
Dá a vida pelas almas
Prega Evangelho puro
Orienta sua fauna
Sabe que o seu rebanho
Em sua voz encontra calma

19)
Crescem ambos no roçado
Diz Jesus na pregação
E lá no final dos tempos
Haverá separação
A coisa será tão feia
Acredite, meu irmão!
20)
Quem somente enganou
Vendeu terra lá no céu
Escritura não lavrou
Fez da fé um escarcéu
Vai se ver com Jesus Cristo
Juiz reto sem o véu.

21)
Nesta hora o dinheiro
Para nada servirá
Satanás dará risadas
No “pastor” espetará
Suas garras, vivas chamas,
O seu servo sentirá

22)
Ore pelo seu Pastor
Seja mais do quê irmão
Preocupe-se com ele
Demonstre sua afeição
Verá que do alto céu
Virá bênçãos de montão.

23)
Pastor bom e verdadeiro
Tá difícil de se achar
Se você tem um no templo
Não o deixe escapar
A Terra leva cem anos
Para outro germinar

24)
Ao Pastor que ensinou
A ovelha escutar
As promessas da Palavra
E nela alimentar
Terá infinita vida
Com bodas a  celebrar.

Fim
Mané Beradeiro – Parnamirim  14 e 15 de junho de 2017