segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

ASSIM DISSERAM ELES....

"A discrição e síntese valorizam o que se escreve"

Edgar Barbosa
Imagem: http://chamine2.blogspot.com.br/2009_01_18_archive.html

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

MANÉ BERADEIRO LANÇA SEU 42º FOLHETO HOMENAGEANDO O JORNALISTA WODEN MADRUGA

O poeta cordelista Mané Beradeiro lançará amanhã, sábado, dia 14 de janeiro, na II Feira Livre, que acontecerá no Mercado de Petrópolis, em Natal, o seu 42º folheto,  que é uma homenagem ao jornalista Woden Madruga,  um dos mais veterano e atuante no jornalismo potiguar. O folheto não é uma biografia, mas um poema que trata sobre o folclore tendo como principal protagonista o bode Woden.  A ilustração da capa foi feita pelo jornalista, chargista e cartunista Eliabe Alves.
Ruminante cavicórneo

Que pra roça não voltou

Depois que molhou bigode

Ser humano se tornou

Formou-se em Jornalismo

Nunca mais ele berrou.



quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

AVISO



Esse é meu ganha-pão
Dele tiro meu sustento
Não posso vender fiado,
Nem tampouco
Aviado como pago.
Preste bem atenção!
Não faça dessa estrofe
Causa de separação.

Mané Beradeiro
04 de janeiro 2017

II FEIRA LIVRE - MERCADO CULTURAL DE PETRÓPOLIS

O escritor Francisco Martins estará no próximo sábado participando da II Feira Livre, que acontece no Mercado Cultural de Petrópolis, em Natal. Na oportunidade disponibilizará seus livros de crônicas, contos, poemas, pesquisas e cordéis para a venda, além de fazer demonstração de produção de livros pela Editora Carolina Cartonera. 

 
Para mais um sábado de livros, música e artes, o Mercado Cultural de Petrópolis promove a 2ª Feira Livre em seu espaço e oferece ao público inúmeras opções de visita, cultura e lazer.

Com o intuito de promover o comércio local e a produção artística da cidade, a feira é realizada pelos permissionários do mercado e está aberta a participação de expositores.

A programação do encontro tem início às 10h e conta com:

- Feira de livros com a participação de sebos, editoras locais e autônomos;
- 24ª Feira de Vinil de Natal;
- Encontro de Brechós;
- "Exposição "Fotografando com os Sentidos";
- Antiquários e Ateliês de Arte;
- Botecos e comidas regionais;
- JOFLES (discotecagem);
- Samba com Zé Eduardo (16h);


 Evento: Feira Livre
Data: 14 de janeiro (sábado)
Horário: 10h às 19h
Local: Mercado Cultural de Petrópolis

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

QUEM SEREI EU EM 2017?



Tomei a séria resolução de que em 2017 eu serei menos Leiturino,  um pouco Mané Beradeiro , já preparando  o público para que em 2018 eu aposente de vez esses personagens, por ocasião dos 10 anos do projeto Momento do Livro. Entretanto, isso não significa que deixarei de produzir pela cultura,ao contrário, terei muito mais tempo disponível para minhas linhas de produções. A prova disso vocês testemunharão esse ano, quando terão oportunidades de acompanhar vários trabalhos que serão publicados.
                Começo uma nova fase dentro de mim, diria que acordei o pesquisador, que foi alimentado ao longo do período de 2004 a 2016 com as minhas leituras. Sempre encontrava algo que me alertava: será que já pesquisaram sobre isso?  E fui anotando os temas. Agora é tempo de amadurecer e colher. O batismo do pesquisador aconteceu com “A Grande Pesquisa – homenagem aos 80 anos da Academia Norte-rio-grandense de Letras”, publicado em novembro de 2016.
                Dando prosseguimento virão por aí, brevemente:
1)      Autores e assuntos ... ( livro que vai reunir mais de 200 autores que escreveram artigos, ensaios, crônicas, poesias, discursos, palestras  com foco na literatura potiguar).
2)      Os Três Reis Magos da Cultura: ...., .... e  ..... ( 60 anos de um importante evento que aconteceu em Natal)
3)      O Legado de Rômulo Wanderley – ensaio biográfico.
4)     Doutor Buti – livro infantil, lançamento em abril.
 É notório que em 2017 procurei uma trilha que deixará marcas mais duradouras da minha existência neste solo cultural. 

Obs: as reticências são para aguçar a curiosidade.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

VAMOS COMEÇAR A AGENDAR?

Termino o ano cultural de 2016 celebrando sete anos do projeto Momento do Livro, que tem várias vertentes dentro dele. Há o Palhaço Leiturino e o Mané Beradeiro,  contador de histórias, causos e declamador de poemas,ambos personagens criados e vividos por mim.





Dentro do projeto realizo também o resgate da vida e da obra de José Mauro de Vasconcelos, autor do livro O Meu Pé de Laranja Lima e outras obras. Já fiz isso em algumas escolas municipais de Parnamirim e estou aberto a receber convites para realizar em outras escolas da Grande Natal. O projeto O Meu Pé de Laranja Lima acontece da seguinte forma: Leitura do livro, exibição do filme, produção textual  sobre a vida e a obra do autor e no final uma palestra sobre o mesmo, que é feita por mim.




Um terceiro segmento das minhas ações culturais é a Editora Carolina Cartonera, que incentiva as escolas a produzirem livros  cartoneros, revelando talentos de alunos que escrevem poesia e prosa.

Conto com vocês para esse ano poder dar continuidade ao  Momento do Livro, projeto que tem dado sua participação às escolas e à cultura do Rio Grande do Norte. Em 2016, do dia 22 de janeiro até 16 de dezembro foram as seguintes realizações:

16 ações de Mané Beradeiro
17 ações do Palhaço Leiturino
14 ações de Carolina Cartonera
1 ação do projeto O Meu Pé de Laranja Lima
41 ações como escritor
 Isso totaliza 89 atividades, lembrando que não fiz mais por causa do problema de saúde que tive no mês de maio o que de lá para cá reduziu muito a minha capacidade física de atender a outros convites. É com alegria que começo o ano prestando conta do que fiz e já posso adiantar que em 2017 muita coisa boa virá por aí.

Francisco Martins
98719 4534
momentodolivro@hotmail.com



quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

HOMENAGEM AO ANIVERSARIANTE QUE MAIS AMOU O RN



O INESQUECÍVEL

Ele amou esta terra como ninguém outro a conseguiu amar.
Quando chorou,  inda bem pequeno, teve o acalanto da poeta Auta de Souza.
Foi príncipe  numa época onde seu reino se espalhava por grandes chácaras do Tirol.
Teve  livros,  que lhe faziam as vezes de irmãos, e com eles conversando tornou-se sábio
(Menos para Anália que sempre o via estudar as noites inteiras).
Sua alma foi pespontada  ao solo potiguar, com fios tecidos  pelas rendeiras, ao som  dos folguedos populares  e  rematada com os raios do crepúsculo do Potengi.
Ah! Como ele nos  amou.  Com qual fita poderemos comensurar a grandeza desse sentimento?
Ele  foi a grande enciclopédia  viva, a  “Câmara sem deputados”,  a primeira universidade do  estado, um provinciano incurável, um brasileiro feliz!
Ele é Câmara Cascudo,  inesquecível, o homem que a morte escondeu!

Francisco Martins 29 dezembro 2016

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

PROPAGANDA DE ANTIGAMENTE

Vejam só como eram os fogões a carvão e a lenha. Claro que para a época ( 1941) era o que havia de mais moderno. Fonte: jornal A República, 6 de fevereiro de 1941.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

O NATAL DO POETA



Não há nada lá no Livro
Sagrado aos Cristãos
Que diga ter sido o galo
Um cantor de multidão.
Não existe naquelas páginas
Inerrantes de inspiração
Prova que foram três os Reis Magos
Da visitação.
Então, como poeta, que tem  completa permissão,
Convido o nobre leitor a  viajar na ficção,
Pensar no nascimento de quem trouxe Salvação
Misturar Bíblia e Poesia,  Anjos, José e Maria
Arrancar da tradição ibérica, a agonia, de que
No  Presépio havia neve em  demasia.
De tudo que nós sabemos, vai ficar neste poema,
Um jumento cansado, uma virgem escolhida e
Um José cheio de fé.
É verdade que o casal não encontrou nenhum local
Pra arriar seus apetrechos. 
A noite foi chegando,  temperatura caindo, 
A mulher de José,  gemendo  da gestação,
Disse ao marido: “-Se aveche meu José, encontre
Qualquer lugar, do jeito que a coisa tá, não demora Jesus chegar”
O jumento entendeu aquela situação e cansado da viagem deu rumo
A  condição, fez frecheira  na rodagem, invadiu  uma fazenda, rompeu cancela
Fechada, adentrou numa cocheira.
 José entendeu o fato,  deu um trato no recinto
Palha serviu de cama, boi dividiu ambiente
Estrelas deram  a Maria:brilho, coragem e força.
Corais de Anjos estavam com o glória entalado
E quando Jesus nasceu, ouviu-se choro sagrado
Do Céu desceu legião de seres celestiais,
Cantando glórias ao menino, esperado por demais!
Fuxicaram  aos pastores,  daquela região:
“-Corram agora, vão ver o Verbo  Criança, o Deus que se fez Homem,
A Estrela da Manhã, o Leão de Judá,  aquele que veio ao mundo
Para o céu escancarar”
E foi assim meu leitor, que o poeta lembrou
O nascimento daquele que só plantou o amor.

Mané Beradeiro – 19 dezembro 2016