segunda-feira, 31 de dezembro de 2018

O QUE DEVE SER O GOVERNO

 Neste dia 1 de janeiro de 2019 já estaremos sob a matuta administrativa de Jair Bolsonaro.  Um governo diferente? Até onde? Eu estou na torcida para que seu governo seja próspero e que a nação brasileira cresça. Como tudo aqui puxa leitura e literatura, nada melhor do que termos este texto de Monteiro Lobato, publicado na década de 40, que trata sobre a ética na política.

Uma nação é o conjunto organizado das criaturas humanas que habitam um certo território. Para promover a ordem e a justiça essas criaturas delegam poderes a certos indivíduos para a aplicação de uma coisa chamada lei, a qual não passa da vontade coletiva aceita por  consenso unânime. Tais homens constituem o governo. O governo é, pois,  um delegado, uma criatura da Nação. Só esta é soberana, porque só esta é a força e a verdade.
Quando os delegados fogem aos seus deveres e voltam contra a Nação os  aparelhos defensivos que ela lhes entregou para salvaguardar a sua soberania das agressões externas, esse governo deixa de ser governo. Cessa de funcionar legalmente e – ou rei como Luís XVI, ou ministro, ou presidente, ou congresso – deve ser incontinenti varrido por todos os meios, a guilhotina como na França, ou a processo criminal como nas repúblicas livres.
O dever mais elementar dos delegados da Nação é aplicar sensatamente os dinheiros públicos. O povo dá o imposto para receber em troca um certo número de benefícios de caráter geral. Para fiscalizar esse emprego existe a imprensa, plenário onde se ventila o abuso, o qual abuso, competentemente autuado, sobe à Opinião Pública para o julgamento supremo. Se a opinião pública, por vício incurável, não toma as providências do caso, paciência. A imprensa não tem culpa disso. Seu papel limita-se a esclarecer o público.
Assim, todo jornalista, ou todo cidadão, tem o dever de agarrar pela gola os funcionários relapsos, sejam reis ou ministros, e expor os seus crimes na grande montra.
Referência
LOBATO, Monteiro.  Mundo da lua e miscelânea. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1946, p. 106 e 107. 

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

JEFFERSON CAMPOS ENTREGOU HOJE A ARTE EM XILOGRAVURA DO CORDEL "O NATAL DENTRO DO CÉU"

O artista plástico, xilógrafo, Jefferson Campos entregou no início da tarde de hoje a impressão da xilogravura que servirá de capa para o cordel "O Natal dentro do Céu", de Mané Beradeiro. A figura tem dois níveis: o terrestre onde está acontecendo o nascimento de Jesus, já ladeado por Maria e José e os Reis Magos. E, na parte superior, o Céu onde está acontecendo a grande festa em homenagem a encarnação do Verbo.  Da esquerda  para a direita, o artista Jefferson Campos ilustrou o Profeta Elias,  o anjo vestido de xibão e o casal Adão e Eva.
Num salão todo dourado
Veio um anjo com  gibão
Usava chapéu de couro,
Alpercatas e cinturão,
Logo a sanfona puxou
E com voz forte cantou
Começou a animação

 Este será o 48º folheto, com a assinatura do poeta Mané Beradeiro. Próximo dia 20 já estará disponível para venda.





terça-feira, 11 de dezembro de 2018

MANÉ BERADEIRO TEM NOVO CORDEL SOBRE O NATAL

O poeta cordelista Mané Beradeiro que já tem mais de  40 folhetos publicados, brevemente estará com mais um na praça. Será o terceiro folheto  que abordará o tema do Natal. O primeiro foi lançado em 2012, com o título: "Um menino nos foi dado",  três anos depois, em 2015,  ele escreveu  "O primeiro Natal", e agora, Mané Beradeiro  nos presenteia com um cordel maior do que os anteriores, com 32 estrofes, sendo 31 escritas em sétimas e 1 décima ( assinatura MBERADEIRO). A capa e as ilustrações serão feitas por Jefferson Campos Natal-RN). A correção teve o olhar criterioso do poeta Gilberto Cardoso (Santa Cruz-RN). O título deste terceiro trabalho sobre o nascimento de Jesus é:  O NATAL DENTRO DO CÉU.

Vejamos algumas estrofes:

Naquele dia bendito,
Algo no Céu diferente,
Sentiram celestes anjos,
Em Deus, o Onipotente
Era chegado o momento
De Jesus, seu nascimento,
Neste mundo tão carente.

...

Um anjo pixotôtinho
Que de Deus não se afastava
Perguntou ao Criador,
A quem ele tanto amava:
"-Será hoje na história
A grande noite de glória
Que Isaías proclamava?"

...

Perguntei a um profeta
Que a morte não destruiu,
Se ficou o Céu mais pobre,
Pois Emanoel partiu.
Riu de mim o pregador
E disse sem ter temor:
"-Daqui ele não saiu!"

O folheto estará disponível na semana do Natal.



CEC REALIZOU HOJE A ÚLTIMA SESSÃO DO ANO


O Conselho Estadual de Cultura do RN, entidade da qual faço parte como Secretário Executivo,  fez hoje sua última sessão do ano. Após a reunião houve uma confraternização entre Conselheiros e funcionários. Após a sessão de hoje é declarado o período de recesso para os Conselheiros. Eles voltam às suas atividades no mês de fevereiro de 2019. Este ano, o CEC/RN realizou 40 sessões plenárias.

domingo, 9 de dezembro de 2018

UM BOI SEM RODAS


Monteiro Lobato conta que uma criança, filho do seu vizinho, com três anos de idade, sempre via o boi atrelado no carro de boi, com a canga. Nunca vira isolado, sempre em bloco. Qual não foi sua surpresa quando vê uma vaca na rua. Grita para para a mãe:
_Mamãe, venha ver um boi sem rodas!


sexta-feira, 9 de novembro de 2018

MEU PÉ DE LARANJA LIMA CONCORRE A PRÊMIO NO REINO UNIDO



PUBLISHNEWS, REDAÇÃO, 08/11/2018
O Cilip Carnegie Medal, um dos prêmios literários mais antigo do Reino Unido, reconhece os melhores livros infantis escritos ou traduzidos para o inglês
Dois dos mais antigos prêmios de literatura infantil do Reino Unido, o Cilip Carnegie e o Kate Greenaway Medals divulgaram os livros indicados para sua edição de 2019. Concedido pela CILIP: Instituto Chartered de Profissionais de Biblioteconomia e Informação, o prêmio é dado ao melhor livro escrito ou traduzido para o inglês e ao melhor livro ilustrado destinado às crianças e jovens. Dentre os nomes que aparecem na lista está a obra My sweet orange tree (Pushkin Chlidren's Books) (Meu pé de laranja lima – Melhoramentos), livro de José Mauro de Vasconcelos e que foi traduzido por Alison Entrekin. Em março serão anunciados os finalistas do prêmio e logo depois, as obras serão lidas por crianças e jovens através de grupos de leitura em escolas e bibliotecas públicas. Os ganhadores serão anunciados no dia 17 de junho de 2019

segunda-feira, 5 de novembro de 2018

EVENTOS CULTURAIS NO RIO GRANDE DO NORTE

De 5 a  9 de novembro, no TECESOL, no conjunto Pirangi, em Natal, a Oficina de teatro "O ator em cena", das 19 às 22h, ministrada por Rogério Ferraz.
🔆
Dias 15 a 18 de novembro, a ExpoCristã, no Parque Aristófanes  Fernandes, em Parnamirim.
🔆
Dias 17 e 18 de novembro, o Congresso Educacional Expoeduc RN, no Holliday Inn, em Natal, com a participação  de Bráulio Besa, Isaque Folha, Caio Lê Blanco e Dr. Rodeando Klinjey.
🔆
De 22 a 24 de novembro, o Fest Gourmet, em Natal, no terminal de passageiros do Porto de Natal, das 18 às  0h.  Evento gastronômico  com a participação  de 12 restaurantes e terá  seminário de gastronomia.
🔆
Dias 24 e 25 de novembro, o 15° Festival Dosol, na Via Costeira, em Natal, com 54 atrações  musicais.

domingo, 4 de novembro de 2018

MINHA JABUTICABEIRA

É  preciso  ter paciência  para ver os frutos brotarem. Às  vezes os projetos não  dão  certo como planejamos. Tudo tem seu tempo, sua hora, seu momento. Há  uma força  que sabe quando deve emergir. Ela trabalha silenciosamente no interior preparando o qua vai ser flor, flor que dará  fruto, fruto que nos trará  prazer.  Vivi isso recentemente com a minha jabuticabeira. Ao comprá-la o vendedor garantiu que aos dois anos de  idade estaria frutificando. Não  aconteceu.
Dediquei-me a ela, e, à  semelhança  de Zezé, também tive diálogos sobre nós.  Falei das minhas confidências. Disse o quanto ela é  importante para mim. Não  sei bem até  onde isso foi transformador, o que posso assegurar é  que a jabuticabeira deixou de ser menina e passou a viver seus ciclos férteis.  Li para ela o poema  "Menina e Moça"  de Machado de Assis, dando ênfase  a estas duas  estrofes:

Está  naquela idade inquieta e duvidosa
Que não  é dia claro e é  já  o alvorecer;
Entre aberto o botão,  entrefechada rosa,
Um pouco de menina,  e um pouco de mulher.
...

É  que esta  criatura, adorável,  divina,
Nem se pode explicar, nem se pode entender:
Procura-se a mulher e encontra-se a menina,
Quer-se ver a menina e encontra-se a mulher!

Francisco Martins
4 de novembro  2018

sábado, 3 de novembro de 2018

A CIRURGIA DE POLLYANNA

Ela chegou lá em casa com um grave  problema, estava precisando urgentemente ser cirugiada, não  aguentaria viver daquele jeito. Confesso que tive dó. Eu a vi menina e agora, moça, com a possibilidade  de morrer tão  jovem. Seus olhos suplicaram  que eu tivesse a iniciativa de fazer algo, não  teríamos  muito  tempo. Vi- me entre a cruz e a espada, numa situação que exigia de mim força  e determinação. Entre salvar aquela vida, mesmo com o risco de ser processado por exercer um ofício para  o qual não tinha  sido formado ou vê -la morrer dentro da minha casa, em minhas  mãos, não  hesitei em optar pela primeira. Se tudo desse errado eu seria conhecido como  o homem que matou  uma jovem muito conhecida, se tudo ocorresse certo, eu não  ganharia  nenhuma fama, mas poderia contar com a certeza  de que ela ainda alegraria  muita gente.
Pensei rápido  e disse para mim mesmo: não a deixarei morrer. Farei tudo que estiver ao meu alcance.
E  preparei-me para a luta. Deitei-a sobre a mesa e sem aplicar anestesia  comecei a cortar sua coluna. Foi doloroso, mas preciso. A agulha perfurou-lhe as carnes, foi no mais profundo do seu corpo. Ela desmaiou de dor. Tive que agir rápido. Sentia uma fé  que gritava: tudo dará  certo. Avante!
O relógio  corria, o tempo não  era aliado daquela causa, e minutos depois, que me pareceram uma eternidade, finalmente eu tinha  feito tudo que podia para salvar.
Tire suas próprias  conclusões vendo as imagens da cirurgia.

Francisco  Martins
02 de novembro  2018

sexta-feira, 2 de novembro de 2018

LIVROS E FOLHETOS DE FRANCISCO MARTINS ESTÃO À VENDA NA LIVRARIA CÂMARA CASCUDO


O escritor Francisco Martins/Mané Beradeiro fez parceria com a rede de livrarias Câmara Cascudo, presente em Natal e Parnamirim, que a partir deste mês de novembro venderá suas produções literárias.

As lojas da Livraria Câmara Cascudo estão localizadas nos seguintes endereços:

Natal - Avenida Rio Branco, 432, bairro Cidade Alta - telefone: 3092 2878.

Parnamirim - Avenida Brigadeiro Everaldo Breves, nº  119, Centro - Telefone:  3272 0044

Nestas duas lojas e também nas feiras de livros,  você vai poder comprar as obras do autor: livros e folhetos.

ACLA PUBLICA EDITAL PARA ELEIÇÃO DA PRESIDÊNCIA


ACADEMIA CEARÁ-MIRINENSE DE LETRAS E ARTES “PEDRO SIMÕES NETO” – ACLA
NORMAS EDITALÍCIAS
Art. 1º. A eleição para os cargos da Diretoria e Conselho Fiscal da ACADEMIA CEARÁMIRINENSE DE LETRAS E ARTES – ACLA – TRIÊNIO 2019-2021, se realizará no dia 20 de novembro próximo vindouro, em sua sede na Praça Odilon Ribeiro Coutinho, s/nº, Ceará-Mirim-RN, CEP 59.570-000, no horário corrido das 8 às 16 horas, para o preenchimento dos seguintes cargos: DIRETORIA: Presidente; Vice-Presidente; 1º Secretário; 2º Secretário; 1º Tesoureiro; 2º Tesoureiro; e Orador. CONSELHO FISCAL: três (03) membros titulares e um (01) membro suplente.
Art. 2º. Será garantida a lisura do pleito eleitoral, assegurando-se condições de igualdade às chapas concorrentes, inclusive no que concerne à propaganda eleitoral, podendo, para isso, serem nomeados fiscais que atuarão nas fases da propaganda, escrutínio e apuração dos votos.
Parágrafo Único. O voto será secreto, exercido através de cédula específica e depositado na urna previamente designada para tal fim, podendo os Sócios não residentes ou ausentes da sede da Academia, cumprir o seu dever estatuário mediante carta postada através dos Correios, ou entregue à Comissão Eleitoral, até 30 (trinta) minutos antes do encerramento da votação, em envelope lacrado e colocado em urna especial, em separado, o qual será apurado após a verificação do preenchimento das condições de eleitor, adotando-se o seguinte critério:
I - O voto será colocado em um envelope especial, isento de timbre e dizeres e devidamente lacrado;
II - em seguida será colocado em outro envelope endereçado à Comissão Eleitoral, acompanhado de uma folha de identificação do eleitor, com seus dados essenciais, a saber: nome legível, local, data e assinatura.
III - Recebida pela Comissão Eleitoral, esta decidirá sobre sua computação, tomando as cautelas necessárias para não quebrar o sigilo do voto conforme as regras aprovadas para o respectivo pleito, aplicada, subsidiariamente, a legislação eleitoral pátria, registrando todo o procedimento na ata dos trabalhos.
Art. 3º. O prazo para o registro das chapas se dará entre a data seguinte à publicação da convocação eleitoral, até o dia 13 de novembro de 2018, devendo ser entregues no endereço referido no Art. 1º ou enviado ao e-mail da ACLA.
Art. 4º. O requerimento de registro de chapa, com o nome completo dos candidatos, endereçado ao Presidente da Comissão Eleitoral, deverá estar assinado por qualquer dos candidatos que a integram, com lista contendo a anuência dos demais candidatos e acompanhado da prova de quitação dos componentes da chapa com a Tesouraria até 2018.
Parágrafo único. Verificando irregularidades na documentação apresentada, a Comissão Eleitoral notificará o interessado para que promova a regularização, no prazo de 48 (quarenta e oito) horas, sob pena de indeferimento do pedido.
Art. 5º. Findo o prazo para inscrições, com as eventuais diligências, a relação das chapas, com os respectivos nomes e cargos de candidatura, será publicada no Facebook da ACLA, para fins de conhecimento e eventual impugnação dos interessados.
Art. 6º. A impugnação às inscrições se dará no prazo de 24 (vinte e quatro) horas da publicação das chapas, findo o qual se decidirá, no mesmo prazo, pelo deferimento ou indeferimento das inscrições.
Art. 7º. A partir da inscrição e independente de impugnação, as chapas concorrentes podem divulgar seus programas, podendo a propaganda ocorrer até o dia 19 de novembro de 2018.
Art. 8º. A eventual propaganda negativa ou que contrarie as normas eleitorais brasileiras, poderá ser impugnada no prazo de 24 (vinte e quatro) horas fato, sob pena de não conhecimento da impugnação.
Art. 9º. A Comissão Eleitoral, no prazo de 24 (vinte e quatro) horas, decidirá a impugnação, devendo a decisão ser publicada na sede da ACLA.
Art. 10. Em caso de empate na votação, o desempate se fará em favor da pessoa cabeça de chapa com inscrição mais antiga na Academia. Permanecendo o empate, o novo desempate se dará pela idade da pessoa cabeça de chapa.
Art. 11. Os eleitos serão diplomados no mesmo dia da eleição e empossados no mês de março de 2019, na sede da ACLA, em sessão especial realizada em horário a definir.
Parágrafo único. O local e o horário da solenidade poderão ser alterados por motivo superior, a critério da Diretoria e devidamente divulgados.
Art. 12. Em caso de anulação ou impossibilidade de ocorrência das eleições, por motivo de força maior, a segunda eleição será realizada em 30 (trinta) de novembro de 2018, no mesmo horário e local, guardando-se a proporcionalidade dos dias do calendário dos artigos anteriores para as providências aqui permitidas.
Art. 13. Não poderão concorrer às eleições para a escolha da Diretoria da ACLA os integrantes da Comissão Eleitoral.
Art. 14. Os casos omissos serão resolvidos pela Comissão Eleitoral.
Art. 15. A Comissão Eleitoral será dissolvida com a proclamação dos eleitos.
Art. 16. As normas deste edital entram em vigor na data de sua publicação na página do Facebook da ACLA e, facultativamente, em aviso na imprensa oficial, obedecidas, subsidiariamente, a legislação eleitoral brasileira, em vigor.
Ceará-Mirim/RN, 1º de novembro de 2018.
A Comissão Eleitoral
ROBERTO BRANDÃO FURTADO, Presidente
MÚCIO VICENTE DE OLIVEIRA, Membro
ORMUZ BARBALHO SIMONETTI, Membro

QUAL SERIA SEU EPITÁFIO?

Olá,

O mês de outubro foi cheio de atividades culturais. Não tive tempo de me organizar e programar as postagens no blog. Ainda consegui por algumas atividades nas redes sociais ( Facebook e Instagram). Mas, tentarei ainda esta semana fazer um relatório de tudo que fiz em outubro e postar por aqui.


Hoje, dia 2, é celebrado no Brasil o Dia de Finados, data atribuída a todos aqueles que já partiram. Por isso resolvi colocar temas relacionados à morte.  Sei que é um assunto do qual muita gente não quer nem ouvir falar. Eu não tenho nenhum medo da morte. E gostaria de desafiar você leitor deste blog a  escrever como seria o epitáfio que gostaria de ter em sua sepultura.

Caso não consiga postar nos comentários pode mandar para o Whatsaap (84) 8719b 4534 que eu  transcrevo para esta  postagem. Os participantes concorrem ao sorteio do livro "Canção do Canavial".
O desafio é válido até às 23h 59 m  do  dia 2 de novembro.

O meu epitáfio seria assim:

"Viveu com os livros, amou os livros e através do Livro ganhou a vida eterna"

quinta-feira, 1 de novembro de 2018

ADÁGIOS SOBRE A MORTE

Bater a alcatra em terra ingrata

Bater o cachimbo

Bater a caçuleta

Dar à lonca

Dar com o cotovelo na cerca

Ir à ramada dos Guedes

Pitar macaia

Vestir paletó de madeira

Se mudar pra cidade de pé junto

A certeza da vida é a morte

A conta dos mortos quem faz são os vivos

A gente sabe onde nasce, mas não sabe onde morre

A hora é incerta, mas a morte é certa

A morte tudo nivela

A morte sempre tem uma desculpa

A morte leva os bons e deixa os ruins

Ao vivo tudo falta, e ao morto tudo sobra

A terra lhe seja leve com o Pão de Açúcar por cima

Cabelo branco é capim de cemitério

Morra Marta, mas morra farta

Morre o cavalo, a bem do urubu

Morre o homem, mas fica a fama

Mortalha não tem bolso

Morto do olho aberto, outra morte na casa

Morto o afilhado, acabou-se o compradado




DA MORTE LIVRE



imagem ilustrativa
"Muitos morreram tarde demais, e alguns demasiado cedo. A doutrina que diz: "Morre a tempo!" ainda parece singular. Morre a tempo eis o que ensina Zaratustra. Claro que aquele que nunca viveu a tempo, como há de morrer a tempo? O melhor é não nascer.
Eis o que aconselho aos supérfluos. Até os supérfluos, contudo, se fazem importantes com a sua morte, e até a noz mais ôca quer ser partida. Todos concedem importância à morte; mas a morte ainda não é uma festa. Os homens ainda não sabem como se consagram às mais belas festas."
( NIETZSCHE, Frederico. Assim falava Zaratustra. São Paulo-SP: Brasil Editora, 1957, páginas 57 e 58).










sábado, 6 de outubro de 2018

COMENTANDO MINHAS LEITURAS: VOO NOTURNO

Exupéry  o grande e conhecido escritor do livro O Pequeno Príncipe, também escreveu sobre temas relativos à sua  profissão  de aviador. Li recentemente  Voo Noturno, um romance, seu segundo livro, premiado em 1931. É  um livro que transborda solidão, mas que foi construído com maturidade mostrando a pugna daqueles que enfrentavam a fúria da natureza  para  nós trazer as correspondências  tão  esperadas. Voo Noturno foi logo considerado um bom livro pela crítica  da época,  passados 86 anos, o texto continua impactante, belo, clamando ao leitor que o encontre e descubra o que o autor quer nos dizer.  Pessoalmente achei lindo o texto das páginas 64 e 65, nas quais o protagonista é  visto e amado pela sua esposa.  Fica a dica,  conheça  mais de Exupéry.

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

CANÇÃO DO CANAVIAL LIVRO CORDEL DE MANÉ BERADEIRO

#AtracaoCultural #Cordelizando #Cultura Na I Edição do "Cordelizando: Do Povo Para o Povo", o artista Mané Beradeiro estará lançando seu livro "Canção do Canavial". Mané conta-nos um pouco de sua obra, como podem ver. O evento será realizado dia 28, a partir das 19h, aqui na Biblioteca Pública de Ceará-Mirim.

domingo, 16 de setembro de 2018

MACACO QUE LER É OUTRA COISA


MACAU TEM ACADEMIA DE LETRAS E JOSÉ MAURO DE VASCONCELOS É PATRONO DA CADEIRA 8


ANLIC E ACLA REALIZARAM ONTEM SUAS SESSÕES

 O sábado de ontem foi atípico. Participei de duas sessões. A primeira pela manhã, na Estação do Cordel, em Natal, com os confrades da Academia Norte-Rio-Grandense de Literatura de Cordel. Entre os assuntos tratados eu destaco a  abertura de 4 novas inscrições, brevemente em edital a ser publicado, referente as cadeiras que ainda não foram ocupadas. A sessão também aprovou dois sócios correspondentes: Aurineide Alencar (MS) e Antonio Seixas (RJ).
À tarde, em Ceará-Mirim, participei na sede da Academia Ceara-mirinense de Letras e Artes - Pedro Simões Neto - ACLA da outra sessão. Nesta  tratamos sobre o aniversário da ACLA, as comemorações culturais e a abertura da sede à comunidade, sempre com a presença de algum acadêmico.

sábado, 15 de setembro de 2018

ASSIM DISSERAM ELES ...

Em tempo de eleição  quando  muitos  entram na privacidade  e no direito de você  escolher  quem quer eleger, lembrei-me desta frase que há num livro póstumo  de Policarpo Feitosa, pseudônimo  de António José Melo e Souza (1867 -1955), e que foi por duas vezes governador do Rio Grande do Norte. Ei-la:

"CONSELHO E  TABACO SÓ  SE DÃO  A QUEM PEDE"

Fonte: FEITOSA, Policarpo. Quase romance...Quase memória.  Natal/RN: Imprensa Oficial, 1969, p. 102.


quinta-feira, 13 de setembro de 2018

100 ANOS DO NASCIMENTO DE TARCÍSIO MEDEIROS

A lembrança  dos 100 anos de Tarcísio  Medeiros não  passou em branco pelo seus adultos admiradores e instituições  pelas quais ele passou. Neste momento acontece no salão  nobre da Academia Norte Rio Grandense de Letras a cerimônia em homenagem ao seu Centenário. 

A DUPLA DA CULTURA POPULAR: ANANIAS E MANÉ

Ananias, jumento esperto, amigo inseparável  de Mané  Beradeiro, dupla que simboliza cultura popular, alegria com gosto do nordeste, com cheiro de chuva e a beleza do Carcará. Ele, Ananias representa a resistência  da raça que muito ajudou os sertanejos a desenvolverem o Brasil. Bicho sagrado, presente na História  da Salvação,  de Abraão a Jesus Cristo. Companheiro de viagens nestas estradas  de barros. Guardião  de juras e fugas de amor nas madrugadas. Eita, jumento irmão! Avante, que você é Mané continuem a mostrar a esta geração  que carregar livros,  lê-los, é  melhor que transportar cargas de ignorância no lombo da existência.

Francisco Martins
13 setembro  2018

quarta-feira, 12 de setembro de 2018

ESCOLA NESTOR LIMA RECEBE MANÉ BERADEIRO

Uma Biblioteca que tem como patrono um escritor que foi um dos maiores difusores da cultura nordestina na literatura e que soube promover uma arte erudita com elementos da cultura popular como Ariano Suassuna tem mesmo é que celebrar a literatura popular.  


https://3.bp.blogspot.com/-xncyq38W770/W5lgzggPK6I/AAAAAAAAKco/FLRVl74nb6YkBcwZsaM5DWD0E-YiCeTHwCLcBGAs/s1600/DSCN0034.JPG           A tarde do dia 12 de setembro foi marcada pela presença do escritor e brincante Francisco Martins que, a convite da Escola Municipal Nestor Lima, trouxe o tema do folclore para os alunos do Fundamental ll através do seu personagem Mané Beradeiro.  Na oportunidade, também foram lidas "As Proezas de João Grilo" do escritor parnamirinense José Acaci. 


E a tarde foi, então, marcada por quadrinhas, cordéis, trava-línguas e brincadeiras promovidas pelo também pesquisador da cultura popular que trouxe o 'Jumento Ananias',  que se apresentou como leitor, dentre outros bonecos seus articulados. A mediadora de leitura Maria do Carmo Fontenelle celebrou os mais de oitocentos livros emprestados em 2017 e lembrou as palavras do patrono Ariano Suassuna: "Quem gosta de ler não morre só”. 

         De fato, o aconchego de um bom livro e a companhia de escritores como Ariano ou Francisco Martins é bálsamo para a ausência de companhia.  Sigamos juntos!


 https://3.bp.blogspot.com/-xr2BvgUWd3Y/W5lkaQBLC_I/AAAAAAAAKc8/Fo3OZAgS2gw6nLhVPBF6bq61dT6bBEuxwCLcBGAs/s1600/DSCN0045.JPG
Texto de Angélica Vitalino

AUTA DE SOUZA É TEMA DE PALESTRA NO IHGRN

A poeta Diva Cunha faz agora à  noite, no salão nobre do Instituto Histórico  e Geográfico  do Rio Grande do Norte,  uma palestra sobre a autora do Horto, a poeta Auta de Souza. A palestrante enfoca  a temática de Auta, fazendo amostragem da sociedade  da época.  Uma excelente palestra

DEUS NO COMANDO



Se  for  Haddad quem ganha
Eu não vou me preocupar, pois sei que todo poder
Emana de  EL  SHADDAY. Rancor não irei guardar.
Se for Ciro o vencedor também não  terei pavor
Pois ELOHIM,  o Deus a quem eu sirvo é Onisciente, sabe antes da História
O que nos fará contente.
Se for mesmo presidente, Bolsonaro,  o  capitão,
Terei JEOVÁ NISSI,  cuidando desta nação.
Se Marina for eleita, não será por perfeição,
Nem porque pintou o rosto,
Nem por ter bom coração,
Mas foi KADOSH quem quis lhe dar tão nobre missão.
Se Alckim não comer o pão que o diabo amassou,
Se desviar o maná que neste solo chegou, dificilmente será presidente do Brasil.
Mas JIREH não vai deixar o povo com fome ficar.
Se for Álvaro  o presidente,
Que dias poderão vir com Álvaro na Alvorada?
EL RAÍ nos dirá, Ele é misericordioso.
Se o povo chamar nas urnas Meirelles para o Planalto
Solução não faltará para tudo resolver.
TSIDIKENU no controle, Brasil em seu poder.
Se for eleito Amôedo, o mais rico da eleição?
Ah, dinheiro não é problema quando não há corrupção!
EL CANÁ  com o povo ficará.
Se tudo virá um bolo e Boulos presidenciar
Aí eu tremerei na base da minha fé, mas depressa lembrarei
De JEOVÁ-RAFÁ,  pedirei a sua cura  para ele governar.
Em tudo tenho certeza: DEUS NO COMANDO ESTÁ!

Mané Beradeiro
12 de setembro 2018 


segunda-feira, 10 de setembro de 2018

CORDEIS DE MANÉ BERADEIRO NA FEIRA DE LIVROS DA UFRN

Começou hoje e  vai até o dia 14 de setembro, a Feira de Livros no Centro de Convivência da UFRN. Minhas produções podem ser encontradas no stand do Sebo Gajeiro Curió, de Oreny Jr.



MANÉ BERADEIRO TEM PAGINA NO FACEBOOK

Agora o leitor e admirador de Mané Beradeiro poderá  conhecer um pouco mais de tudo que ele escreveu visitando a fanpage no Facebook Mané Beradeiro.
Lá além de ver todos os folhetos que estão disponíveis para venda e outros livros assinados por Mané Beradeiro, o visitante poderá ver brevemente outras ações que serão compartilhadas naquele espaço.  Desta forma pretende Francisco Martins alcançar um maior número de pessoas que ainda não conhece o trabalho que ele realiza através da literatura de cordel e suas aulas lúdicas. Visite, dê uma curtida e divulgue em suas redes sociais.

 

domingo, 9 de setembro de 2018

COMENTANDO MINHAS LEITURAS: AS AVENTURAS DE DORINHA

Clecia  Santos lançou recentemente um livro infantil,  As Aventuras de Dorinha (Offset Editora 2018). Bilíngue, com texto em português  e inglês (tradução  de Mônica  Maia) e ilustrações  de Flávia  Duarte. O livro tem seus valores pelo projeto gráfico, a boa distribuição  dos textos nas páginas e o tamanho da fonte, que me leva a crer ser destinado para um público  infantil que está  se familiarizando com o vasto universo das palavras. 
Nele vamos encontrar uma família que vai dividir o seu espaço  com uma cachorra. Permita-me autora Clecia Santos dizer que você  deveria ter explorado mais o mote do conto. Afinal, como o próprio título  sugere são aventuras, no plural, e tudo que consegui absorver  foi um dia da vida de Dorinha no seio daquele lar. Virão  outras aventuras? Seu livro tem valores extremamentes  necessários  para nossa sociedade, é possível  ver  nas entrelinhas cumplicidade  entre as irmãs,  a harmonia  do lar, a criatividade  infantil, a importância de um animalzinho  de criação e a responsabilidade de pequenas  tarefas  que as crianças  podem executar.  Achei o início da história  carente de lapidação.  Faltou uma acolhida  convidativa ao leitor,  algo mais "enconfeitado", com cheiro e sonoridade do tão  propalado "Era uma vez..."  Entende?
Tomara que está crítica  seja compreendida. Fi-la  na sublime intenção de que seu trabalho literário  receba de forma objetiva  e construtiva um olhar de leitor amadurecido  que deseja ver  o nome de Clecia Santos sempre crescente.
Francisco Martins

sábado, 8 de setembro de 2018

VERSOS TALHADOS

A minha poeta  mineira favorita tem 82 anos. Reli "Bagagem" e colhi alguns versos que foram talhados por ela. É  sempre bom voltar a ler os poemas e ter um encontro com um eu lírico tão  filosófico.  A poeta nos aguça, provoca o leitor a tirar a roupa da palavra e então  se descobre que elas "as palavras só  contam o que se sabe".
A poeta engrandece o espírito  feminimo lembrando  "que ser coxo na vida  é  maldição pra homem. Mulher é desdobrável". Que linda verdade!
Minha poeta não  teme  nem esconde  sua fé, para ela  "tudo é  Bíblias. Tudo é  Grande Sertão ". Salmodeia afirmando que  "tudo que  existe  louvará".
"Bagagem" um livro da alma de Adélia  Prado

Francisco Martins

quinta-feira, 30 de agosto de 2018

8ª FLIQ COMEÇA AMANHÃ

Os escritores do Rio Grande do Norte terão a partir de amanhã, dia 31 de agosto até o dia 4 de setembro, uma feira que promove a venda dos seus livros. É a oitava realização da FLIQ - Feira de Livros e Quadrinhos de Natal.

 É inegável a contribuição que um evento deste porte oferece ao mundo leitor.  Muitos estarão lançado suas obras, várias escolas da rede estadual poderão adquirir livros através do incentivo que o Governo do Estado - Secretaria da Educação e da Cultura  possibilita com o Vale Livro. Veja o que vai acontecer na feira: programação da FLIQ.


Fun

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

O SERVO DE ZÉ RAIMUNDO


Mané Beradeiro já fez uma homenagem a José Raimundo, quando escreveu o cordel  "Oito vidas na casa de cor azul" (novembro 2017), no qual  há  entre outras as seguintes sextilhas:

Seis nomes eu já mostrei,
Faltam dois a revelar.
O meu coração dispara,
Bastando nele pensar:
Um casal tão formidável,
Impossível não amar.

Ele tem olhos fechados
Lembrando o povo chinês,
As bochechas de Fofão,
Mas vê com intrepidez,
Batizado, Zé Raimundo,
Eu não sei ano nem mês.

...

Nesta semana que ainda  estamos em espírito pela celebração do Dia dos Pais, ocorrido ontem, trago aos meus leitores a prosa poética "O Servo de Zé Raimundo". 

Zé Raimundo, septuagenário, casado e sem filhos. Tenho o privilégio de no mínimo 8 vezes por mês assisti-lo em seu banho noturno.
A primeira vez que fiz isso muito me emocionei, pois ao vê-lo debaixo daquela ducha, imediatamente pensei em meu pai, que há muito já não vive. Ele percebeu que eu estava olhando diferente e perguntou:
_ Você não dá banho em seu pai?
Não contive as lágrimas. Deixei que corressem em minha face e apenas respondi:
_ Não tenho pai vivo. Ele já partiu. E desde aquele primeiro banho, todas as vezes que eu me torno servo de Zé Raimundo, faço com tal zelo que cada gesto é semelhante a uma oração.
Zé Raimundo não consegue se despir, tem dificuldade de lavar a cabeça e como idoso precisa de cuidado e atenção no banho. É um momento ímpar. Um ritual cuja sincronia se repete sempre numa cadência harmoniosa.
Pega o sabonete esfrega várias vezes na mão esquerda e com aquela espuma ele lava todo o lado direito do corpo, depois repete com a mão direita, desta vez no lado esquerdo. Brinco com Zé Raimundo e lembro que ele não pode deixar de lavar a “ribaçã”. Vejo o sorriso em seu rosto e dele escuto causos e estórias que ele vai lembrando e contando.
As caçadas de passarinho, as primeiras namoradas, os patrões e o trabalho no roçado são temas frequentes. E quando o banho termina é hora de enxugar, vestir e perfumá-lo para que ele tenha o encontro com as ninfas dos sonhos. Aproveito para dizer que a ninfa dele está ali, bem pertinho e se chama Sebastiana.
Ele rir, como quem simplesmente afirma que ela não entra naquele mundo só seu.
Ah! Zé Raimundo, estou com 54 anos e tenho certeza que não verei outro como você. Seus cabelos brancos, suas cicatrizes, seus gestos são imagens de uma linda aquarela na qual eu ouso ver a face do meu pai .
Obrigado Zé Raimundo por permitir ser seu servo.
Francisco Martins
11 de agosto de 2018.