domingo, 30 de março de 2014

A PRIMEIRA ACADEMIA DE LETRAS FEMININA DO ESTADO



Francisco Martins*

                A escritora Zelma Bezerra Furtado de Medeiros, que também é poeta e pesquisadora foi a idealizadora e fundadora da Academia Feminina de Letras do Rio Grande do Norte - AFLRN, em 22 de abril de 2000.
                Ao longo destes 14 anos de existência a  Academia Feminina de Letras vem ganhando espaço no seio cultural e prestando serviço à comunidade. Também em Mossoró existe a Academia Feminina de Letras e Artes Mossoroense- AFLAM, fundada por Maria de Fátima de Castro, em  17 de agosto de 2007.
                Ambas as instituições têm sido Arcádias vivas e atuantes na cultura do Estado, porém, a ideia de se ter uma academia feminina no Rio Grande do Norte não nasceu  com Zelma Bezerra Furtado de Medeiros,  bem antes dela pensar nisto, precisamente  48 anos antes da fundação da  AFLRN houve em Natal uma instituição fundada com este propósito.
                A grande curiosidade é que as duas  academias femininas nasceram no mesmo mês, a primeira do Rio Grande do Norte em 1952 e a segunda em 2000. Até as datas estão bem próximas, respectivamente 21 e 22 de abril.
                Vamos então conhecer esta história.  A Academia Norte-Rio-Grandense de Letras - ANL já estava em funcionamento desde 1936, portanto, há 16 anos. Naquela época, o Presidente  era  Paulo Viveiros.  As mulheres sentiram então o desejo de fundar a sua academia, embora reconhecessem que Palmira e Carolina Wanderley eram imortais da ANL e que esta escolhera três mulheres para compor o quadro de patronas: Nísia Floresta (Cadeira 2), Isabel Gondim (Cadeira 8) e  Auta de Souza (Cadeira 20).
                O certo é que no dia 28 de fevereiro de 1952, um grupo de mulheres formado por Nara de Oliveira Cristina Coelho,  Helione Dantas, Nívea Andrade e Raimunda Paiva começaram a dar corpo a esta ideia. Já nesta primeira reunião ficou decidido que a instituição seria conhecida pelo nome de Academia Feminina de Letras Berta Guilherme.
                Berta Guilherme, que na verdade se chamava Maria Albertina Guilherme,  foi uma professora do Atheneu, a primeira mulher a ensinar Filosofia no Estado. Sobre ela, escreveu recentemente o acadêmico Jurandyr Navarro: Era uma mulher de ação dotada de espírito operoso. Para ela, toda vitória alcançada era prelúdio de outra seguida vitória. Eloquente a sua participação intelectual, do seu tempo, ao ponto de ser homenageada com a criação de uma Arcádia literária, intitulada Academia de Letras “Bertha Guilherme”, tributo raro nos anais culturais da nossa terra..
                 Em março de 1952 é feita mais uma reunião, desta vez na  residência de Nívea Andrade. Nela, além de definirem a data da sessão de fundação, também é escolhida a diretoria que fica assim constituída:  Presidente: Helione Dantas,  Vice Presidente: Neide Gadelha,  1ª Secretária: Nívea Andrade, 2ª Secretária:  Cristina Coelho, Tesoureira: Teresinha Paiva, Bibliotecárias: Maria do Rosário Porpino e Alix Guerra C. Lima.  Trinta patronas foram escolhidas.
                A comissão  entra em contato com o Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte e agendam a sede desta instituição para ser o local  da sessão de fundação, que acontece na noite de 21 de abril de 1952. Naquela noite, a oradora escolhida é a Dra. Myriam Coely de Araújo. A sessão foi presidida pelo Secretário Geral do Estado,  Américo de Oliveira Costa e contou com a presença de Palmira Wanderley que recordou nomes de mulheres na literatura potiguar e falou sobre Berta Guilherme.
                Estava fundada a primeira Academia Feminina de Letras do Rio Grande do Norte.

*Escritor, poeta, guardião da Biblioteca Padre Luis Monte, da Academia Norte-Rio-Grandense de Letras.

Referências:
NAVARRO, Jurandyr. Professora Maria Albertina Guilherme. In: LIMA. D.C.; BARROS, E.C.A.C. (Org.). Construtores da Ágora Soberana Potiguar – Múltiplas Memórias – Professores do Atheneu Norte-Rio-Grandense (1892/anos 1960). Natal: Ed. Infinita Imagem, 2014. p.205.
Tribuna do Norte, Natal, 29 fev 1952. Revista da Cidade, p.2.
_____________, Natal, 25 abr 1952. Revista da Cidade, p.2.

sábado, 29 de março de 2014

O MENOR CAPÍTULO DA LITERATURA BRASILEIRA

É no livro "Memórias Póstumas de Brás Cubas", de Machado de Assis, que vamos encontrar um dos menores capítulos  escrito pelo escritor, quiçá o menor  da  literatura brasileira. É o capítulo 139 que tem apenas o título e nada mais: "DE COMO NÃO FUI MINISTRO DE ESTADO".
Na verdade, quando Machado não escreve mais nenhuma outra linha neste capítulo é porque na sequência da obra, ele inicia de forma magnífica o capítulo seguinte com a frase: "Há coisas que melhor se dizem calando". 


quinta-feira, 27 de março de 2014

20 ANOS DAS PAULINAS LIVRARIA, EM NATAL - 27 MARÇO 2014




O Palhaço Leiturino encerrou hoje à tarde, suas apresentações no auditório da Paulinas Livraria, em Natal, referente aos 20 anos desta loja na capital  potiguar. Hoje as crianças que visitaram a livraria vieram de Parnamirim-RN.

terça-feira, 25 de março de 2014

LEITURINO NA FESTA DE ANIVERSÁRIO DA LIVRARIA PAULINAS EM NATAL

 Paulinas Livraria está de parabéns. É aniversário da loja em Natal. Para celebrar este evento, a livraria vai promover dia 26 e 27 de março, encontro com alunos de escolas, já previamente agendadas, em seu auditório. Na manhã e tarde desta quarta-feira, 26, irão os alunos do Instituto Brasil e no dia seguinte, 27, alunos da rede pública municipal de Parnamirim. Para alegrar a criançada, o Palhaço Leiturino, personagem criado e vivido pelo escritor, poeta e artista Francisco Martins.
Local: Paulinas Livraria
Endereço: Rua João Pessoa, Centro - Natal
Horário: 26 e 27 de marços, das 9 às 10 e das 14 às 15 hs.

ASSIM DISSERAM ELES ...

"Somos os resultados dos livros que lemos, das viagens que fazemos e das pessoas que amamos"

Airton Ortiz, jornalista e escritor.

DE UMA CARTA DE RENATO CALDAS A ALUÍZIO ALVES

Veja que beleza de texto poético escreveu Renato Caldas ao então Deputado Aluízio Alves.
http://www.blogdofernandocaldas.blogspot.com.br/2014/03/de-uma-carta-de-renato-caldas-aluizio.html

FAÇA UM GOL DE LEITURA EM SUA SALA DE AULA

Até sexta feira próxima estarei recebendo os folhetos do cordel "A Copa da Reflexão". Um texto poético que nos induz a pensar sobre cidadania, política, educação, futebol, etc. Ideal para ser trabalhado junto aos alunos do Ensino Fundamental e Médio neste período em que o Brasil respira e vive o clima da copa. Pedidos pelo telefone (84) 8719 4534 ou  maneberadeiro1@hotmail.com

quinta-feira, 20 de março de 2014

PALHAÇO LEITURINO NA II MARATONA DE HISTÓRIAS

Hoje, 20 de março, o Palhaço Leiturino vai participar da II Maratona de Histórias que acontece deste ontem, no IFRN,  na avenida Rio Branco, Cidade Alta, em  Natal.  A apresentação de Leiturino será por volta das 14 hs.

CAPA DO CORDEL: TORMENTO DE DONA GRAÇA

O mais novo folheto de Mané Beradeiro, TORMENTO DE DONA GRAÇA, trata de problemas na educação com alunos indisciplinados. É um material que propõe uma reflexão sobre direitos e deveres, Estatuto da Criança e do Adolescente, políticas públicas. Na próxima semana já estará disponível para venda.

ASSIS DISSERAM ELES ...


segunda-feira, 17 de março de 2014

domingo, 16 de março de 2014

TORMENTO DE DONA GRAÇA

O sofrimento de uma professora

Vou contar o sofrimento
Vivido por Dona Graça
Professora do estado
Que sofre  nesta desgraça
De educar um menino
Já doutor em arruaça.

Professor já foi moeda
Muito dada por valor
Mas hoje neste Brasil
É um grande sofredor
Principalmente aqueles
Abaixo do Equador.

Preste muita atenção
Em tudo que vou narrar
E depois então me diga
Se dá para  suportar
Viver um ano letivo
Com  “cão” a aperrear.

 Laranjeiras e a terra
Onde tudo se passou
Tadinha de Dona Graça
Que tanto agonizou
Com o aluno capeta
Que muitos azucrinou.

Botar filho neste mundo
É trabalho bem maneiro!
Difícil é educar
O sujeito brasileiro
Quando os pais dizem não
Com o filho no cueiro.

Deixar para a escola
Esta tão nobre missão
É matar o professor
E arrancá-lo do chão
Que assinou o contrato
de ser mestre na nação.

O  fato aconteceu
Numa escola rural
O danado do menino
Por si só é vendaval
Vira tudo que  encontra
Naquele seu arraial.

Dona Graça, paciente
Jurou ao seu coração:
“Vou consertar este cabra,
Acabar com  aflição
Deste povo  que só pensa
No pobre sem compaixão”.

Dona Graça não sabia
Do que vinha pela frente
Achou que Pedagogia
Ia deixá-lo diferente
Enganou-se Dona Graça,
Tão calma e paciente.

Palavras de bom valor
O menino não sabia
Pois tudo quanto falava
Era só pornografia
As oiças de Dona Graça
Eram porta da agonia.

“-Menino não diga isto!”
Gritava a professora.
E o aluno dizia:
“-Você é Caipora,
Se vier mexer comigo
Eu lhe desço a espora!

Merendeira tinha medo
Do aluno malcriado
Que virava a panela
Sujando  tudo que lado
E falava nomes feios
De olhos arregalados.

De tudo então se fez
Para ele melhorar
Mas, a sina do moleque
Era mesmo assanhar
Do menor ao o maior
Só queria azucrinar.

Dona Graça, mulher santa
Pensava em ajudar
Descobrir os  sonhos dele
E a alma afagar
Somente com um desejo:
“Ele vai se transformar”.

O menino navegou
pelo “Mais Educação”
Em tudo quanto é sala
Não ficou seu coração
Os professores diziam:
“-Não temos a solução!”

Aquela criança ia
Cada vez mais ao chão
Pois lidar com ser humano
É preciso compaixão
Ir além do seu salário
Abraçar  a vocação.

Antigamente bastava
O Professor rezingar
Que imediatamente
Aluno ia sentar.
Mas hoje tá diferente
É capaz de apanhar.

Um dia  naquela escola
O menino ultrapassou
A linha do permitido
E violência usou
Tentando com a tesoura
Furar quem lhe ensinou.
Isto foi a gota d’água
No balde da paciência.
“Avisem já a DIRED”
Foi grande a insistência
É preciso tomar logo
A severa providência.

E foram até ali
Verdadeira comissão
Com apenas um propósito:
Salvar a situação.
Regenerar o menino
Era esta a missão.

A criança prometeu
Comportamento mudar
Nesta hora natureza
Fez um galo relinchar
Um Bispo Universal
Dinheiro não quis ganhar.
 
As águas do ribeirão
Pararam de navegar
Políticos que roubavam
Juraram santificar
Dizendo: “Se ele pode,
Nós também vamos mudar”

Dona Graça tudo viu
E o aluno falou
Não levantou a cabeça
Nem a voz se alterou
Era tudo fingimento
Acredite meu leitor.

Quando o povo voltou
O  bichim esperneou
E disse em alto som:
“-Agora tudo mudou.
Se antes eu era ruim,
Muito mais,  pior ficou”.
 
Professor deixou escola
Pois não vive pra morrer
“-Se é pra ganhar dinheiro
E não poder ter lazer.
Vou rasgar o meu diploma
Antes do alvorecer”

A notícia correu campo
E o povo quis falar.
Houve promessa pra santo,
Catimbó prá melhorar
E no centro espírita
Paulo Freire invocar.

Um velhinho do lugar
Deu também seu parecer
Dizendo que no seu tempo
Cacete ia comer
No lombo deste menino,
Ele fez por merecer.
 
Uma jovem estudante
Do curso pedagogia
Rebateu o pensamento
De tamanha ousadia
Argumentando valer
A melhor sabedoria.

No Brasil é sempre Sim
A quem faz baldeação.
O pau que dava em doido
Não tem mais sua função
E conversa  deve ser
A mais forte da lição.

Agora, então me diga:
Pra onde vamos mandar
O enfiteto aluno
Que só quer é bagunçar?
Crianças só tem direitos?
A escola vai fechar?

Dona Graça representa
A mais nobre profissão
Que por causa disto tudo
Não tem mais motivação
E se não abrirmos olhos
Vai entrar em extinção.

É preciso resolver
Este causo tão comum
Ver onde está a culpa
E acabar o zunzum
Que menino pode tudo
De maneira incomum

Atenção Governador!
Secretário do saber.
E o povo que faz  lei
É preciso rever
Este tal de Estatuto
Que só causa desprazer.

Dona Graça bota fé
Mais não pode sustentar
Sozinha tão grande luta
Para tudo transformar
É preciso União
Ou vai tudo despencar.

 Se ensina a criança
O caminho a andar
E mesmo quando for grande
Outros passos não quer dar
Pois aprendeu com os pais
Como se deve comportar.

Termino este cordel
Dando grande louvação
Àqueles que ensinam
Do litoral ao sertão
Fazendo dum quadro negro
A maior libertação.


Mané Beradeiro
Parnamirim-RN, 16.03.2014

 
Informações catalográficas

Título: Tormento de Dona Graça
Autor: Mané Beradeiro
Data: 16 de março 2014
Métrica:  36 estrofes, em sextilha aberta,  com versos heptassílabos
Rima:  axbxcx
Marcadores: Comportamento infantil, educação, pedagogia, magistério, cidadania, valores morais.
 Pedidos pelo email: maneberadeiro1@hotmail.com ou (84) 8719 4534. Distribuo folheto para todo o Brasil.












terça-feira, 11 de março de 2014

COLÉGIO IMACULADA CONCEIÇÃO NÃO SERÁ TOMBADO

O Colégio Imaculada Conceição, instituição católica que funcionou em Natal de 1902 a 2012,  pertencente a Congregação das Irmãs Doroteias, fundada por Santa Paula  Frassinetti,  foi vendido após ter fechado suas portas.  Cinco empresas demonstraram  interesse na transação desta compra, mas que adquiriu o  imóvel  foi a UNIFACEX, cujo presidente é José Maria Barreto de Fugueiredo.
Pairava sobre o imóvel um pedido de tomabamento formulado pela Associação de Ex-Alunos e também do historiador Francisco Anderson Tavares de Lyra. Caso fosse tombado, pela atual lei estadual que rege a matéria, o comprador teria um prejuízo enorme no seu objetivo de implantar uma escola de ensino superior.
Francisco Anderson tavares de Lyra - Historiador
A Direção da UNIFACEX procurou o Conselho Estadual de Cultura, órgão consultivo, e expôs com muita propriedade o plano de ação que pretende desenvolver naquela área, visando sobretudo revitalizar a Av. Deodoro. Hoje, 11 de março 2013, data em que o processo de tombamento foi julgado pelo Conselho Estadual de Cultura, o Conselheiro Jurandyr Navarro deu parecer não favorável ao tombamento e os Conselheiros aprovaram por unanimidade a decisão do colega. Houve apenas uma abstenção no Colegiado, que foi a do Conselheiro Paulo Heider, representante da Fundação José Augusto.
 
Veja também: 
 http://www.senadinhomacaiba.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=8997%3Aex-alunos-querem-que-predio-do-colegio-imaculada-conceicao-seja-tombado&catid=1%3Amais-recentes&lang=pt )

sábado, 8 de março de 2014

A TODAS AS MULHERES

A todas as mulheres
eu desejo neste dia
a luz mais forte, vinda de Deus!
o amor mais verdadeiro,
externado na cruz!
O filho mais belo
nascido em Belém.

A todas as mulheres
eu peço compaixão
pelos homens,
ternura aos filhos
Bondade sempre.

A todas as mulheres,
Eu convido, para uma festa
imensa, a festa da vida.
Celebrada com as glórias
das lutas, regada com vinhos
de uvas alegres.

A todas as mulheres
Eu dou um abraço,
de amigo, de poeta.
E àquela que é meu porto,
Meu descanso!

Ah! A esta tudo!

Parabéns!

Francisco Martins 08.03.14

sexta-feira, 7 de março de 2014

CONTINUA A PESQUISA SOBRE RÔMULO CHAVES WANDERLEY

O escritor Francisco Martins que está fazendo pesquisa sobre a vida e a obra de Rômulo Chaves Wanderley está se dedicando agora, às crônicas que ele escrevia no jornal "Tribuna do Norte". Neste jornal Rômulo assinava sua coluna com as letras R.C e tinha como título  Revista da Cidade.

SAI A MAIS NOVA REVISTA DA ACADEMIA NORTE-RIO-GRANDENSE DE LETRAS

A mais nova revista da Academia Norte-Rio-Grandense de Letras - ANL  já está em circulação, é a primeira do trimestre de 2014. A revista tem como Diretor Manoel Onofre Jr e Editor Thiago Gonzaga. Esta é a de nº 38, volume 50 e em seu teor traz artigos, poesias, contos, discursos e necrológios sobre o universo da literatura que se faz no Estado e principalmente aquela que foi produzida pelos membros da ANL. A Edição foi de 500 exemplares.

quinta-feira, 6 de março de 2014

ASSEMBLEIA DE DEUS JARDIM AEROPORTO CELEBRA DIA DA MULHER COM APRESENTAÇÃO DE MANÉ BERADEIRO

Sábado, 8 de março, data do Dia Internacional da Mulher, Mané Beradeiro fará apresentação para a Sociedade Feminina da Igreja Assembleia de Deus Jardim Aeroporto, em Parnamirim-RN. O encontro acontecerá à noite das 20 às 21 horas e será cheio de poesias, cordéis,  intervenções de Ananias e Sarauê, tudo recheado de humor e do ensinamento da Palavra de Deus.

BIBLIOTECA MANÉ BERADEIRO GANHA NOVOS LIVROS








ZELMA FURTADO RELANÇA A ANTOLOGIA PRESENÇA DA MULHER NA LITERATURA DO RIO GRANDE DO NORTE

Com coquetel em homenagem as mulheres, pela passagem do 08 de março – Dia Internacional da Mulher, a presidente da  ACADEMIA FEMININA DE LETRAS DO RIO GRANDE DO NORTE e do MEMORIAL DA MULHER relança logo mais às 18h a antologia PRESENÇA DA MULHER NA LITERATURA DO RIO GRANDE DO NORTE. Local: Galeria Conviv’art – Centro de Convivência – UFRN – Natal/RN

Horário: 18h Realização: UFRN - NAC - Galeria Conviv’art - Academia Feminina de Letras do RN - Memorial da Mulher
Informações: 9999-9250 / 8807-7738


Referência: http://vivicultura.blogspot.com.br/, disponível em 06.03.14, visualizado às 9:24.

CONSCIÊNCIA CRISTÃ KIDS - ALBUM

Local: Campina Grande -PB -  Data:  27/02 a 04/03/2014