sábado, 9 de setembro de 2017

NOVO TRABALHO DE PESQUISA SOBRE ANRL: ASSUNTOS E AUTORES NAS 50 EDIÇÕES DA REVISTA DA ANRL



O pesquisador Francisco Martins terminou mais uma pesquisa. Trata-se do livro inédito: Assuntos e Autores nas 50 edições da Revista da ANRL, com mais de cem páginas, no qual o pesquisador Francisco Martins teve o cuidado de organizar a lista de todas as pessoas que escreveram na referida revista, desde a primeira edição em 1951 até a edição de nº 50 janeiro a março 2017.

1ª revista - 1951
1) Qual foi o interesse de trabalhar neste assunto das 50 edições da Revista da ANRL?

 Primeiro mostrar àquelas pessoas que tem acompanhado o trabalho das edições da Revista da ANRL sobre a importância deste periódico para a história da nossa literatura e da própria Academia. Depois, por ser um ano marcante, no qual a instituição celebra 80 anos de fundação.

 2) Recentemente, Lívio de Oliveira, Acadêmico e Diretor da Biblioteca Padre Luís Monte-ANRL disse ao repórter Ramon Ribeiro (Tribuna do Norte) que o senhor é tido como historiador da ANRL. Concorda com a afirmação do poeta?

Confesso que quando li a matéria fiquei um pouco preocupado com o título dado pelo poeta Lívio Oliveira. É um peso e uma responsabilidade muito grande ter essa qualificação. Diria que sou e estou mais para colaborador e construtor da memória da Casa Manoel Rodrigues de Melo.  Na verdade eu tenho apenas um trabalho publicado neste campo de pesquisa sobre a ANRL, que foi lançado em novembro de 2016, que é a "Grande Pesquisa". Não sei se o que faço e pesquiso pode-me dar o título de historiador, isso o tempo dirá. 


3) Quais respostas pretende dar a sua pesquisa sobre a linha do tempo da Revista da ANRL?
Proponho que o leitor encontre nesse livro, não somente o nome de todas as 318 pessoas que escreveram de 1951 a março de 2017, mas que também saibam quais foram os assuntos e seus gêneros, bem como a revista e as páginas que se encontram. Será sem dúvida uma boa fonte para se buscar informações sobre assuntos literários.

4)  Há algumas curiosidades neste trabalho?

Sim, será possível identificar quem mais escreveu para a Revista, quais gêneros são mais frequentes, quais foram os maiores discursos de posse e os menores, etc.

 
Revista  nº 50

5) Alguma previsão sobre quando o livro estará disponível ao público?

Não tenho esta resposta, pois o material será entregue ao Diretor da Revista da ANRL, Acadêmico Manoel Onofre Jr e certamente isso será definido entre ele e a Presidência daquela casa. 
6) Quando será entregue?

Na próxima semana.

7)  Quanto tempo trabalhou nessa pesquisa?

Comecei na manhã do dia 26 de dezembro do no passado e terminei  em 20 de abril de 2017. Cheguei a me dedicar mais de oito horas por dia. É claro que ao longo deste período a dedicação não foi exclusiva, mas, há nele pelo menos noventa dias seguidos. Li todas as revistas.



sexta-feira, 8 de setembro de 2017

CINCO LIVROS DE CASCUDO COMO SUGESTÃO DE LEITURA

Quando li o artigo de Thiago Gonzaga, sobre sugestões de leitura da autoria de Câmara Cascudo, confesso que imediatamente veio à minha mente, aquele pensamento que traz uma grande quantidade de verdade: Muita gente fala de Cascudo no Rio Grande do Norte, mas quem verdadeiramente conhece sua obra, mergulhou na leitura dos seus livros, estudou com afinco e curiosidade o quê  ensina o Professor em suas muitas páginas? Cascudo,  31 anos depois do seu encantamento e daqui a mais 30 anos, ainda teremos muitas pessoas sem saber a grandeza desse homem-enciclopédia. Fico com a proposta do escritor Thiago Gonzaga: "desfrutem da leitura do nosso maior escritor". Porém, entre um livro e outro, vá conhecer o ninho da águia potiguar, visite o Ludovicus - Instituto Câmara Cascudo e apaixone-se pelo seu universo.

ASSIM DISSERAM ELES ....

"Amar nunca foi fácil. Casar e descasar, em comparação, é facílimo"

Affonso Romano de Sant'Anna

DIA 12 DE SETEMBRO TEM HOMENAGEM A ZILA MAMEDE


NOVO FOLHETO DE MANÉ BERADEIRO

Neste mês de setembro o poeta cordelista Mané Beradeiro estará lançando seu mais novo folheto. "Jesus e o Diabo no Rio Grande do Norte" tem a arte da capa feita por Eliabe Alves, o mesmo que também desenhou "Um bode chamado Woden".  O folheto pode ser comprado em Natal, na Estação do Cordel, situada a Praça Padre  João Maria, ou diretamente com o autor através do (084) 9.8719 4534.  Entrega para todo o Brasil.

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

ASSIM DISSERAM ELES ....

"O contador de histórias é justamente o contrário de historiador, não sendo um historiador, afinal de contas, mais do que um contador de histórias. Por que essa diferença? (...) O historiador foi inventado por ti, homem culto, letrado, humanista; o contador de histórias foi inventado pelo povo (...)"

Machado de Assis

História de quinze dias. São Paulo: Editora Globo, 1997, p. 84.