quinta-feira, 29 de agosto de 2013

O HUMOR DE MANÉ BERADEIRO

O Coronel Tomás Barbosa precisava comprar um burro novo e possante (neste tempo os caminhões ainda não existiam pelos sertões). Miguel Carpina sabendo disso foi oferecer um burro ao Coronel.
-Eu tenho um prá vender que é novo e forte! O bicho tá tão gordo que está de rego aberto.
- Vá buscá-lo que eu quero ver. Disse o Coronel.
Depois que viu o burro o Coronel examinou o solípede e exclamou:
- Miguel, seu burro é defeituoso: falta metade de um beiço...Porque você não me disse logo?
- Eu não disse, seu Coroné, porque eu tava na mente que a Vossa Senhoria queria era o burro pra carregar carga. Agora é que estou vendo que vosmicê quer é um burro pra assobiar.