segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

COMENTANDO MINHAS LEITURAS - POR QUE LER MANUEL BANDEIRA


Livro: Por que ler Manuel Bandeira
Autor:  Júlio Castañon Guimarães
Editora: Globo
Ano: 2008
Páginas: 162


Desde cedo me foi apresentada a poesia de Manuel Bandeira. Já li e reli muitos poemas de sua autoria, mas somente agora, depois de degustar as páginas do livro Por que ler Manuel Bandeira,  é que fiquei conhecendo pormenores da vida deste grande poeta.  Agora eu entendo melhor porque ele escreveu a frase: "Eu faço versos como quem morre". Convido vocês leitores a fazerem também a leitura desse livro e se encantarem com a luta desse homem que podemos nomeá-lo como um herói da literatura brasileira. Em 1906, aos 20 anos, doente, com febre aos 40º, ele, sem saber fez a poesia abaixo:

Renúncia

Chora de manso e no íntimo... procura 
Tentar curtir sem queixa o mal que te crucia: 
O mundo é sem piedade e até riria 
Da tua inconsolável amargura. 

Só a dor enobrece e é grande e é pura. 
Aprende a amá-la que a amarás um dia. 
Então ela será tua alegria, 
E será ela só tua ventura... 

A vida é vã como a sombra que passa 
Sofre sereno e de alma sombranceira 
Sem um grito sequer tua desgraça. 

Encerra em ti tua tristeza inteira 
E pede humildemente a Deus que a faça 
Tua doce e constante companheira...

Mais tarde confessou isso ao amigo Mário de Andrade.   

O poeta Manuel Bandeira (1886-1968) deixou vasta contribuição à nossa literatura. 24 livros de poesias, 14 livros de prosa, 13 livros organizados por ele, 16 obras traduzidas para o português, além d críticas e artigos em jornais.

Foi membro da Academia Brasileira de Letras, tomando posse em 30 de novembro de 1940. Bandeira hoje é eterno em Pasárgada, lá, ele é amigo do rei.