quinta-feira, 12 de julho de 2012

SOBRE A ÚLTIMA FLOR DO LÁCIO

O  que é escrever certo? Pode um escritor propositalmente escrever errado?  Recentemente li  "Livro -Um Encontro" de Lygia Bojunga, renomada escritora nacional, com prêmios internacionais. Neste livro, a escritora em várias páginas ( 58,64,78 e 83), todas as vezes que deveria escrever ESTAVA ou ESTAVAM, ela escreve TAVA  ou TAVAM,  fazendo uso da linguagem coloquial.. Pensei ser erro de digitação, mas na página 88 ela escreve a grafia correta. O livro é da 6ª edição,Editora Casa Lygia Bojunga, 2004.Tudo isto me faz lembrar uma frase do Barão de Itararé: "O Português é uma língua muito dificil. Tanto que calça é uma coisa que se bota, e bota é uma coisa que se calça". Deixo com vocês a inspiração do poeta Olavo Bilac
LÍNGUA PORTUGUESA

Última flor do Lácio, inculta e bela,
És, a um tempo, esplendor e sepultura:
Ouro nativo, que na ganga impura
A bruta mina entre os cascalhos vela...
Amo-te assim, desconhecida e obscura.
Tuba de alto clangor, lira singela,
Que tens o trom e o silvo da procela,
E o arrolo da saudade e da ternura!
Amo o teu viço agreste e o teu aroma
De virgens selvas e de oceano largo!
Amo-te, ó rude e doloroso idioma,
em que da voz materna ouvi: "meu filho!",
E em que Camões chorou, no exílio amargo,
O gênio sem ventura e o amor sem brilho!