segunda-feira, 30 de julho de 2012

XILOGRAVURAS: SIM OU NÃO?

É sabido que a xilogravura tem sido por muitos anos a cara do folheto do cordel. Nada tenho contra esta arte. No entanto, não podemos negar que nos anos 30 surgiram folhetos  trazendo nas capas clichês de artistas de cinema, fotos de postais, retratos de Padre Cícero e Lampião.

Tão somente nos anos 40 foi que a xilogravura passou a ser usada com frequência nos folhetos e, esta prática, colaborou imensamente para o campo das artes plásticas no Nordeste do Brasil. Entretanto, como vivemos hoje no mundo da imagem e da cor, resolvi que para os meus cordéis usarei a arte do desenho da artista Cimara Cláudia, uma jovem com talento maravilhoso. Desta forma, contratei seus serviços e começo a receber as primeiras capas definitivas dos meus cordéis. Xilogravura? Por enquanto não!