terça-feira, 3 de setembro de 2013

A EXPLICAÇÃO DE ARISTÓFANES

Nunca o homossexualismo esteve tão patente na sociedade brasileira, quanto nos tempos atuais. A Globo, através das suas novelas, apregoa sobre todos os telhados a naturalidade do homossexualismo. Não estou escrevendo nem para julgar, tampouco para condenar. Não me cabe este ofício.
Entretanto, lendo o clássico O BANQUETE,  de Platão, chamou-me a atenção o discurso  de Aristófanes, o quarto a falar durante o banquete, que baseado em informações lendárias, explica como surgiu na humanidade a homossexualidade.
Segundo  Aristófanes, "Outrora, a natureza humana não era o que é hoje. É mais bem diferente". E esta diferença acentua  ele,  era que havia três espécies: macho, fêmea e andrógino ( este formado pela junção do macho e da fêmea).
Diz o livro que  Júpiter e os outros deuses, reunidos em conselho, hesitaram aniquilar os andróginos, como fizeram com os gigantes. Júpiter toma a decisão de dividí-los. Ficando as partes separadas. Portanto, de acordo com Aristófanes, quando um homem ou mulher se apaixonam por um mesmo sexo, é porque eles encontraram a parte que lhe foi tirada por Júpiter.
Eis aí, a literatura fornecendo "resposta"  a sociedade grega daquela época sobre a prática do homossexualismo.
andróginos