domingo, 22 de setembro de 2013

COMENTANDO MINHAS LEITURAS - O OLHO TORTO DO REI

Título: O Olho Torto do Rei
Autor: Antonio Francisco
Editora: IMEPH
Ano:  2011
Páginas: 144
Gênero: Poesia, Cordel
Leitura: 21 e 22 de setembro 2013

Dezessete poesias em forma de cordel integram este livro. O autor abre o livro com “Linha do Tempo”,  no qual trata sobre uma pequena biografia da sua própria vida. Em seguida, segue sua produção literária sempre focalizando o meio ambiente, usando  na construção dos cordéis, em sua maioria a sextilha,  estrofes compostas por seis versos, com a rima aberta (axbxcx) onde apenas os versos pares  tem rima. Exemplo:

“Daqui pre frente eu não sei
Como vai ser meu futuro
Se vai ser amargo ou doce,
Se vai ser verde ou maduro
Pois só os lábios de Deus
Que sabe ler no escuro”

(Linha do Tempo, página 14)

Uma das características do poeta Antonio Francisco é sempre usar animais, pássaros e insetos em suas produções, fazendo desta forma o texto ter uma beleza mais acentuada e prender o leitor, independente da faixa etária. Ele aplica esta técnica em “ A  Invenção”, “Tubarão no Reino do Faz de Conta”, “Uma Cidade de Sonhos”, Carro Novo e Cara Feia”.

O autor não se prende ao estilo fundamentalista do cordel, ele sabe que muitas vezes é preciso quebrar regras sem ferir o gênero poético, e faz isso com autoridade. Um exemplo são os cordéis “ Não Custa Nada Ser Bom” (página 113), “Carro Novo e Cara Feia”(página 121), “O Olho Torto do Rei”(página 132) e “De Calça Curta e Chinela” (página 142). Sempre fiel a sextilha, mas na última estrofe o poeta termina o texto com uma septilha ( estrofe construída em sete versos).

No tocante ao uso da língua portuguesa, o revisor Rouxinol do Rinaré deixou escapar alguns pequenos erros, mas nada que prejudique o valor da obra.

O livro é sem dúvida uma ferramenta boa de ser trabalhada na sala de aula.