quarta-feira, 22 de junho de 2011

UMA ALEGRIA E TANTO


Fazer cultura é muito dificil, principalmente quando o artista se propõe a fazer algo diferente que fuja aos padrões e chavões já existente na sociedade. O show de Mané Beradeiro tem sua singularidade.É um humor recheado não apenas com piadas, em sua maioria vestidas com os causos, mas é sobretudo um encontro com a poesia, a literatura e a cultura popular. Não tenho a esperança de lotar auditórios por aqui, pois sem que nem todos são dados à cultura. Mas confesso que sinto uma alegria incomensurável quando olho para a platéia e vejo pessoas que estão ali porque gostam do meu trabalho. Posso não ter multidões, mas tenho qualidade no rol dos fãs que me assistem. Foi assim no último show acontecido no Ludovicus. Dentro dele, a minha irmã Socorro Fernandes ( a última do lado direito), entregou no final do show o carderno de registro do carro de Mané Beradeiro, que terá as assinaturas de todas as pessoas que andarem naquele veículo. A abertura do livro foi feita pela escritora acadêmica Anna Maria Cascudo Barreto, Presidente do Instituto Ludovicus, filha de Cãmara Cascudo. Na foto, da esquerda para a direita: Nina Bezerra, Anna Maria Cascudo, Mané Beradeiro e Socorro Fernandes.