quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

ARREBOLO

Zé-Gamela
Parodiando Renato Caldas

Ao jovem Nilton Navarro, com um abraço do autor.

Mulata me arresponda,
Me arresponda num arranco
Porqui é qui tu te arrebola
quando vê um home branco?

Fica toda arrebolando,
Arebolando...
Pensa tarvez qui os branco
Vão ficá te desejano?

Se eu fosse oturidade,
Oturidade de tamanco
Eu botava na cadeia
Teu arrebolo...te sou franco.

Adispois dele tá preso
Numa cadeia sem jinela
Eu dizia: agora Mulata
Arrebola por Zé-Gamela.

(Este poema é da autoria de Zé-Gamela, cordelista, artista circense e de rádio que fez sucesso no Brasil nas décadas de 40 a 60. A paródia acima faz parte do livro: Caçoadas - versos e disparates de Zé Gamela, editado pela Tipografia Galhardo, em Natal, agosto de 1954.)