segunda-feira, 23 de maio de 2016

CONVERSA DE CANCELA - III


-Esta porteira está ficando cada vez mais velha
-Também, você queria o quê? Ela tem mais de cem anos!
-Sério?
-Sim senhor, isso aí é  braúna pura. Madeira boa.
-É compadre, as coisas boas estão ficando difíceis. Veja por exemplo os políticos. Tá uma falta danada de homem de vergonha. Pra onde a gente se vira só vê político galamastro, sem resistência e miolo.
-É, você tem toda razão. Onde andarão os homens da fibra de Juvenal Lamartine, Monsenhor Walfredo Gurgel, Dinarte Mariz, Aluísio Alves, Djalma Marinho entre outros que este torrão viu nascer?
-Sei dizer não compadre. Encantou-se todo mundo. Eles se foram, assim como os fantasmas da fazenda. Você notou que a gente nem ver mais saci, caipora, mula sem cabeça, lobisomem, boitatá?
-Taí uma verdade! Vi quando era menino. E depois, não me lembro de ter voltado a ver.
-Feche a porteira compadre. Feche enquanto não substitui essa danada por uma daquelas eletrônicas que tem lá na cidade. Parece pimba de menino adolescente. Só vive pra cima!

Mané Beradeiro