domingo, 5 de julho de 2009

NOSSOS ESCRITORES (AUTA DE SOUZA - PARTE I)


Auta de Souza é sem dúvida uma das maiores poetisas brasileiras. Quem conhece sua obra e o contexto sócio-histórico no qual germinou sua obra, HORTO, confirma isto.

Nasceu Auta em Macaíba -RN, então uma pequenina e palpitante cidade no dia 12 de setembro de 1876. Seus pais foram Eloy Castriciano de Souza e Henriqueta Leopoldina.

Auta quando veio ao mundo já tinha no seio da sua família três irmãos, a saber: Eloy Castriciano de Souza (1873), Henrique Castriciano de Souza (1874) e Irineu Leão Rodrigues de Souza (1875). Seu último irmão, João Câncio nasceu após ela, em 1877.

Os pais morreram cedo. Auta perde a mãe no dia 29 de junho de 1879. Henriqueta tinha apenas 27 anos e morre nos arredores de Macaíba, em Jundiaí. O pai, Eloy Castriciano, falece com 39 anos, 1 mês e 15 dias, aos 15 de janeiro de 1881. Ambos são vitimados pela tuberculose.

Como é notório, a vida da pequena Auta foi logo cedo assinalada com a presença do sofrimento, marcada pela morte dos seus pais. Que destino teriam as cinco crianças? Eis que surge no cenário desta história a figura predominante de Silvina Maria da Conceição, conhecida carinhosamente por Dindinha, avó materna de Auta, que leva os netos para serem criados em Recife-PE, na residência do Arraial. É lá nesta casa que Auta e seus irmãos vivem de 1881 até 1890.

Por hoje, paramos por aqui. Ainda esta semana daremos continuidade a biografia de Auta de Souza. Lembrando que se alguma instituição escolar desejar uma palestra sobre a vida de Auta é só entrar em contato comigo. E-mail (letrasreais@hotmail.com) ou telefone 84 9178 0954.
Fontes: Vida Breve de Auta de Souza; Luis da Câmara Cascudo. 1961
Auta de Souza; Diniz Ferreira da Cruz. Editora Danúbio. São Paulo. 1991