quarta-feira, 1 de julho de 2009

SE TE CHAMO DE AMIGO






Não queiras amizades com as nuvens.
Elas são voláteis, traidoras, ora estão brancas, parecendo flocos de algodão, outras estão escuras, carregadas de raios. Elas, as nuvens, nunca ficam. Fogem sempre, mudam suas formas, seus desenhos. Vão para onde o vento as levar.

Eu não quero ser amigo das nuvens. Eu quero sim ter amizades com as montanhas, as serras, os rochedos, as pedras. Pois estas são indubitavelmente duradouras, presenciais.

Vede! Quantos anos aquela serra está ali? E aquela pedra, faz muito tempo que não sai daquele lugar!
As nuvens qualquer brisa as deformam. As pedras somente são quebradas, esmigalhadas à força de picaretas ou dinamites, e mesmo assim continuam pedras, pequenas pedras, pequenos grãos infinitos.

Você é meu amigo, pedra, rocha, montanha, serra.


Parnamirim – RN, 24 de janeiro de 2008