sexta-feira, 4 de setembro de 2009

INSENSIBILIDADE

Para Claudemir Chiarati


Ela estava lá, caída na calçada.
Sangrava, não se movia, morria, e nós sem percebermos morríamos com ela.

Passávamos insensíveis àquela vida.
Morria jovem, sem doenças, mais uma vítima da violência urbana.

Eu a vi tantas vezes naquela calçada, alegre, robusta, bela.
Mas, um homem, ou melhor, todos os homens, desta cidade decidiram matá-la.

Morreu a árvore. Ficamos sem sombra, sem verde, os pássaros neste dia entoavam uma melodia triste, sentados num fio da rede elétrica.

Quem será a próxima? Eu me pergunto.

Parnamirim – RN, 16 de julho de 2007