sexta-feira, 18 de setembro de 2009

O HUMOR DE MANÉ BERADEIRO



Renato Caldas, poeta do Vale do Açu, pioneiro da poesia matuta no Rio Grande do Norte, foi ao Rio de Janeiro solicitar ao Dr. Carlos Lacerda uma ajuda financeira para o lançamento do seu livro "Fulô do Mato". Naquela época, no Rio de janeiro, Dr. Carlos Lacerda estava a todo vapor com a sua campanha "Ajuda teu irmão". Depois de várias tentativas, finalmente, Renato Caldas consegue audiência com o doutor Carlos.

__O que você quer mesmo? Perguntou Carlos.

__Uma ajuda financeira para lançar meu livro. Sou poeta lá do Nordeste, pobre, sem recursos...

Dr. Carlos Lacerda achou que era mais um cabeça chata que queria pegar uma graninha e voltar para o Norte. Queria uma prova e falou para Renato:

__Se você é poeta mesmo, faça um verso. Se eu gostar ajudo na publicação do seu livro.

Era tudo que Renato queria. E do alto da sua inteligência mandou brasa:

__"SEU DOUTOR CARLOS LACERDA QUE INVENTOU ESSA MERDA DE AJUDA TEU IRMÃO, PUBLIQUE "FULÔ DO MATO", AJUDE O VELHO RENATO, POETA LÁ DO SERTÃO".


Causos da nossa literatura, coisas do nosso chão.


Fonte: Repentes e Desafios, de José Lucas Barros. 1985.