terça-feira, 27 de setembro de 2016

COMENTANDO MINHAS LEITURAS: CORAÇÃO DE PEDRA




Li  "Coração de Pedra e outras histórias"  de um fôlego só.  Damião Gomes, escritor que escreveu "O Futurista", nos presenteia agora com o gênero de contos.  São doze  histórias que prendem a atenção do leitor. Um bom livro.  Permitam-me ir além da leitura e fazer também minhas observações sobre detalhes que muitas vezes passam desapercebidos de outros leitores. Começo com  "O Amigo da Onça", p 18, 2º parágrafo falta a palavra  lado.  Em "A Velha Dama" Damião Gomes comete ao meu ver um plágio. O conto é praticamente a mesma ideia presente na letra da música Geni e o Zepelin, de Chico Buarque. " O Retorno de Rex"  foi o melhor dos contos.  Fiquei empolgado com o desenvolvimento da história e o drama vivido pela ave. "Coração de Pedra"   nos revela a grande transposição da natureza humana. A vida em nuances de procura. Bem construído, mas aqui a diagramação cometeu um erro de aglutinar  duas palavras tormentasssentimentais ( p. 75, 4º parágrafo). O que se repete também  com turistaspra (p.83, 4º parágrafo), alegroem (idem, 5º parágrafo),  inteiraque (p.106, 1º parágrafo). Vi também duas presenças de pleonasmos, um na p. 101 (saiu  fora do corpo) e o outro na p.106 ( pulou por cima). Faço esses registros por que sei que o livro não ficará apenas nesta primeira edição. Outras virão, e com certeza o escritor Damião Gomes terá o cuidado de consertá-las. Em suma, parabenizo pelo livro, um conjunto de histórias que nos mostra  personagens com problemas e dimensões sentimentais  tão reais quanto  a própria peça que chamamos vida.