quinta-feira, 29 de setembro de 2016

MADRUGADA

É madrugada
Há um silêncio lá fora
Somente eu estou em barulho.
Nenhum cão late.
Não há gato pisando no telhado.
E todos os galos não querem mais tecer a madrugada .
De repente ouço tiros
Que perfuram o pano frio da rua.
Sirenes, gritos.
Cães despertam.
Uma vida adormece.
Há barulho lá fora.
Silêncio dentro de mim.

(Francisco Martins - 22 setembro 2016)