terça-feira, 27 de setembro de 2016

POEMA DE DOIDO

Esta casa que me abriga nunca existiu.
Você que ler este poema, existe?
Não há letras. Nada!
O chão é a única existência que me sustenta.
Tudo indago.
As respostas nunca me satisfazem.

(Francisco Martins- Natal- RN, 25 setembro 2016) 

Imagem:  https://www.google.com.br/search?q=DOIDO&biw=1366&bih=659&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=0ahUKEwjW4bPpwq_PAhXFlZAKHdJACwgQ_AUIBigB#tbm=isch&q=LOUCO&imgrc=S_4B1UBGRGZPCM%3A