segunda-feira, 12 de outubro de 2009

PAIXÃO

Se das letras saíssem álcool, eu viveria bêbado, embriagado, alcoólatra.

Se pensar destruísse as células, eu há muito que já estaria cancerígeno.

Ainda bem, que o teclado não é uma ratoeira, senão meus dedos já haviam sidos decepados.


Temo que um dia meus olhos despertem sem luz.

25.04.2007