quarta-feira, 14 de outubro de 2009

XIBIU

No Enéas Cavalcanti ele (Domício) estudou apenas dois anos. Uma vez um aluno chamou um colega de Cara de Xibiu. Queixou-se o ofendido à professora. Esta prontamente tomou as providências pegando um dicionário e leu o significado da palavra xibiu (instrumento utilizado para cortar vidro) para os alunos daquela turma.
A turma aguentava-se para não rir. Mas, de repente ouviu-se alguém falar:
--Eu não sabia que xibiu servia também para cortar vidro, pensava que era só para mijar. Disse Domício.
A gargalhada foi geral. A professora Marlene escreveu o nome xibiu no quadro negro, em letras garrafais e obrigou todos os alunos a transcreverem para o carderno o nome xibiu e seu significado. No mínimo vinte linhas.
À tarde, quando chegou em casa, a mãe perguntou o que ele aprendera naquele dia na escola. Ele respondeu:
--Hoje eu aprendi para que serve o xibiu.
--Moleque, você me respeite. Disse Dona Raimunda, já exigindo uma boa explicação.
Salvou-se Domício de apanhar porque mostrara o caderno com as linhas escritas e o visto da professora.

(Extraído do livro: Contos da Nossa Terra. Natal. Novembro 2004. 1ª ed.)