sábado, 3 de abril de 2010

JESUS, ADEUS OU ATÉ MAIS VER?

Cartas para Mel – VIII

Linda e sorridente Mel, boa parte do planeta Terra comenta nestes primeiros dias de abril de 2010, passagens e mensagens espirituais deixadas por um homem que aqui esteve há 2010 anos atrás.

Pessoas que afirmam seguir seus ensinamentos estão paramentadas em igrejas e templos evangélicos relembrando parábolas, tecendo comentários sobre alguns aspectos de sua existência, enquanto outros rememoram os últimos momentos de sua passagem por este plano material.

Seu nome é Jesus e não sei como será daqui a 15 anos, quando você ler estas cartas com mais atenção, as comemorações em torno deste líder do cristianismo universal.

Por força da lei democrática que vai modificando certas coisas até então indiscutíveis, o feriado, traduzido na ausência de atividades profissionais pode acabar. Alguns já chegaram à conclusão que, sendo o Estado laico, sem partidarismo religioso de nenhuma fé, não é correto adotar feriados religiosos, pois, sendo assim, teria de ter igual tratamento o nascimento e a morte de Buda, Maomé, Zoroastro, Confúcio e Lao-Tse, entre outros.

Outro fato que pode modificar a dita Semana Santa em seu tempo é o fato de Jesus ter retornado, conforme anunciam vários segmentos cristãos, notadamente os adventistas do sétimo dia.

Baseados nos textos contidos no Novo Testamento, Evangelhos e nas Epístolas, muitos hoje em dia, doce Mel, acreditam que está chegando o tempo da volta de Jesus por causa dos sinais escritos nestes textos, como a “incredulidade dos homens” as “guerras e rumores de guerra”, “fome e pestilências em vários lugares”, e a “reação da natureza”.

Para lhe ser sincero, também acredito neste retorno, mas relaxo quanto ao tempo e a forma. Penso que Jesus vai surgir da maneira que ele é realmente, cercado por seus ajudantes, trabalhadores de um universo melhor. Todos chegarão em naves espaciais e, segundo algumas mensagens recebidas mediunicamente, a que Jesus trabalha é do tamanho da distância entre nossa cidade Natal e a de Salvador, na Bahia.

Em minha opinião o retorno do mestre não mudará muito a dinâmica da vida atual ou futura. Vai apenas esclarecer as coisas como realmente são e, cada um, seguirá decidindo que rumo dar a sua vida. Sabendo como tudo é, fica mais fácil seguir o caminho do bem, creio eu.

Num mundo materialista como o nosso, onde ninguém sabe ao certo como é a turma do mal deita e rola fazendo o que quer como bem entende sem medo de maiores conseqüências.

Para seu pai, a maior benção que a Terra pode receber, é saber de uma alta fonte espiritual, com credibilidade e poder, como as coisas realmente são. Só assim, os bons vão se sentir prestigiados e, os maldosos, saberão o caminho das pedras na continuidade de suas presepadas.

Minha linda e doce Mel me preocupa no tempo atual, que seu pai vive com sua mãe Deinha e irmãozinho Gabriel, o distanciamento que os seguidores de Jesus estão tendo com relação à prática sincera e verdadeira do bem.

Não generalizo, mas muitos cristãos e seguidores de outras religiões andam cultuando mais os aspectos ritualísticos e exteriores de suas fés. Gostam de colocar um bom perfume, uma roupa bem passada e ir até a igreja, o templo ou a mesquita.

Lá ficam quietinhos passando o tempo e, depois, não se engajam em projetos sociais, inventam todo tipo de desculpa para não ajudar e, quando dão uma esmola aqui e uma ajudazinha acolá, acham que são extremamente virtuosos.

Como lhe disse, não são todos, mas sinto falta de um posicionamento mais efetivo dos religiosos, tanto os que têm cargos de poder, quanto os seguidores, na questão social.

O povo reza muito, conversa muito e contribui pouco para um mundo melhor. Voltando ao ponto inicial, não sei como será a Semana Santa daqui a vinte anos, quinze anos. Não sei se será feriado para a grande maioria ficar bebendo, fumando e matando os animais pela boca do estômago.

Não sei se Jesus já terá voltado para esclarecer tudo como realmente é e dar um norte definitivo ao nosso planeta.

Só sei amada Mel, que gosto de Jesus, aprecio sua mensagem espiritual e admiro o que fez enquanto esteve entre nós.

Penso estar ele trabalhando para chegar no momento certo, acredito que ele ama o nosso planeta, apesar da energia muito barra pesada que nos cerca.

Certamente o iluminado Jesus deve estar com uma turma imensa de anjos garis limpando a sujeira que impede sua volta. No caminho até nós tem toneladas cósmicas de maus pensamentos, morte de crianças desnutridas, a turma que Hitler dizimou, os desencarnados bêbados e drogados desnorteados no éter, os avaros chorando o ouro que ficou, os traídos sedentos de vingança, os tarados em busca de suas orgias coletivas e, vez por outra, uma alma aqui e outra ali, no meio desse pântano de seres em situações diversas, confortando e tentando levar almas para o hospital celestial, para que Jesus possa chegar até nós e iluminar nossa ignorância.

Minha linda e doce Mel, filha querida e amada, os orientais, que já estão neste planeta há muito tempo, oram não para Jesus, Buda ou Confúcio em especial, eles pedem que a luz remova a ignorância, pois sabem que o ouro dos ensinamentos espirituais, é a clareza da mente e a boa vontade do coração.

* E escritor, jornalista, pai de Mel, Gabriel, esposo de Deinha e ativista social em Natal/RN (escritorflaviorezende@gmail.com)