terça-feira, 4 de setembro de 2012

A MÃE DE ANTÔI

Antôi, 18 anos, lá dos cafundós de Judas, entrou no Exército, mas precisamente no 16º BIMTZ. O Sargento dando instrução à tropa, indicou a bandeira do Brasil e falou: -Doravante àquela ali será a mãe de vocês até o dia em que deixarem as fileiras do Verde Oliva. Entenderam?
-Sim Senhor. Gritou a tropa.
Mas tarde, em entrevista com o Capitão, Antôi, ou melhor Soldado ANtonio, 765. Vai respondendo as perguntas que lhe são formuladas.

Capitão: - Soldado como vai sua mãe?
Antonio: -A bichinha tá presa num pau bem grande, se balançando prá lá e prá e não sai dele, desde manhazinha Capitão!
Capitão: Soldado, você tá doido, comeu bosta, pegou água na peneira, limpou o fundo com canjica ou caco de vidro?
Antonio: -Oxênte Capitão, é a minha e a tua também, o senhor não sabia não?
E lá foi Antonio para o xilindró, ver o sol nascer quadrado!