sábado, 19 de maio de 2012

NATAL NA GESTÃO DE GENTIL FERREIRA 1935 A 1940 - PARTE II

"A administração municipal de Natal obedece a um sistema de serviços cujo esquema determina uma perfeita correlação entre si. O Prefeito inicia o desdobramento racional de um grande quadro, que se distribue por três diretorias: de Expediente, de Fazenda e de Obras. As duas últimas agem em entendimento direto com a primeira, que é o órgão disciplinador de todo o funcionalismo municipal. Agindo, porém, cada diretor nos limites de suas atribuições, assim se executa o plano da administração imediatamente subordinado ao Prefeito:

DIRETORIA DE EXPEDIENTE - Portaria, Protocolo, Secretaria
DIRETORIA DE FAZENDA - Contabilidade e Impostos, Tesouraria, Patrimônio.
DIRETORIA DE OBRAS -  Escritório Técnico,  Administração de Obras, Limpesa e Jardins, Almoxarifado.

A Diretoria de Fazenda dirige diretamente e fiscalisa os Mercados Públicos e as Feiras, o Matadouro, o Cemitério, responsabiliuzando-se ainda pela Fiscalização geral, sob a chefia de um fiscal geral, um auxiliar e um corpo de guardas.

O atual Prefeito, engenheiro Gentil Ferreira de Souza governa a cidade pela segunda vez. A primeira, de Junho de 1930 a Junho de 1931, tendo nesse período iniciado um programa eficiente de obras públicas. A segunda, desde Outubro de 1935, quando foi convidado pelo então governador eleito e empossado, dr. Rafael Fernandes Gurjão, atual  Interventor. A sua gestão tem se assinalado, sobretudo, pelas construções de grande vulto e de premente necessidade pública.E, ainda, pela assstência técnica na órbita das realizações estaduais e de empreendimentos particulares que têm vindo beneficiar a fisionomia da Capital e os seus recursos de conforto e de hospitalidade.

O Prefeito Gentil Ferreira de Souza resolveu várias questões importantes ligadas ao trânsito público, abrindo ruas e avenidas, alagando outras em parte ou totalmente. Mantém um serviço constante de pavimentação, transformou áreas abandonadas em jardins, praças e ruas. Disciplinou alinhamentos, ampliou e construiu mercados públicos, levou do centro aos diversos bairros melhoramentos inestimáveis. Não recorreu a empréstimos, nem pralisou obras necessárias por dificuldades financeiras. Melhorou a arrecadação municipal, diminuiu grandemente a dívida ativa, sem impor medidas extremas.

O exercício financeiro de 1940 foi encerrado com um saldo de Rs 183.430$00 sem que existisse qualquer conta processada ou a processar dependendo de pagamento. As secções da Administração Municipal trabalham atualmente sob as seguintes chefias:
DIRETORIA DE EXPEDIENTE: Sr. Mario Eugênio Lira
DIRETORIA DA FAZENDA: Sr. João Ferreira de Souza
DIRETORIA DE OBRAS: Engenheiro Civil Otávio Tavares"