terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

COM CHEIRO DE POESIA

Lutar com palavras é a luta mais vã 
Entanto lutamos
mal rompe a manhã

Carlos Drummond de Andrade

Na homenagem que foi prestada recentemente para Angélica Vitalino e Aracy Gomes, algumas leituras foram compartilhadas, entre elas, quero destacar a que foi apresentada  pela Mediadora de Leitura Jarlene Carvalho (foto). Ela trouxe uma prata da casa, um poeta do torrão de Santa Cruz-RN, que muito admiro seus textos.

Naquela manhã Jarlene leu: "Hoje o dia amanheceu com cheiro de poesia", do livro Retrato Sertanejo (Hélio Crisanto)

Um nevoeiro de verso
Despontou quebrando a barra
Um sagui fazendo farra
Vendo o seu bando disperso
Vejo o horizonte imerso
Na mais perfeita harmonia
E o inverno contagia
A mata que floresceu
Hoje o dia amanheceu
Com cheiro de poesia

Debrucei-me na janela
Olhando um cordão de chuva
Vendo filas de saúva
fazendo estrada amarela 
Olhando essa cena bela
Meu peito sente alegria
E o sertão se fantasia
Com o que Deus prometeu
Hoje o dia amanheceu
Com cheiro de poesia

Vê-se que o poeta constrói seu poema com um olhar voltado à natureza. Mescla-se a ela, as pequenas coisas lhe dão alegria. E lembrando Thiago de Mello, outro grande poeta,

Cada palavra também
tem sua alma e seus amores
Uma só faz cem metáforas,
outras têm só um segredo.
Mas todas sabem cantar...