quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

TRANSFORMAÇÃO



Eu já tive cabelos bem pretos,
Tão escuros quanto a cor do  negro.
Eu era forte, incansável, ágil.
Nada me assustava, nem a tesoura,
Nem os pelourinhos da vida.
Hoje meus cabelos estão grisalhos.
Aparentam charme de Casa Grande,
Fios prateados, pintados com o esforço da vida.
Amanhã, quando atravessar o portal que me leva
Ao campo da terceira idade, eles estarão brancos,
Como flocos de algodão, como a polpa do coco,
Dirão a mim: chegamos até aqui!

Francisco Martins
Parnamirim-RN
23 abril 2016