quarta-feira, 1 de março de 2017

COMENTANDO MINHAS LEITURAS: NAS VEREDAS DE MIM MESMO

Livro: Nas veredas de mim mesmo
Autor:Hélio Crisanto
Gênero: poesia
Editora: CJA, 1ª edição, 2016
Leitura: 24/02/2017

As 140 páginas do livro "Nas veredas de mim mesmo" formam um grande cântico do poeta Helio Crisanto em homenagem ao sertão e seus múltiplos valores.  Gosto da poesia de Hélio Crisanto, tenho acompanhado seu trabalho pelas redes sociais e dos três livros por ele lançado, dois estão em minha biblioteca. O poeta e escritor  Hélio Crisanto constrói com magnitude estrofes (septilhas e décimas) que nos dão prazer."Nas veredas de mim mesmo" é um livro onde se sente  o peso da vida nordestina, não foi à toa que o primeiro poema é:

A BAGAGEM DO TEMPO

Quando a chama do corpo se amofina,
O cansaço vai logo aparecendo...
Nossa alma de dor segue chemendo,
Os incômodos lhe atacam na surdina.
Se o relógio do tempo determina,
Logo a gente só pensa em despedida,
Corpo frágil, e a voz já combalida
Já não sente prazer em quase nada;
A bagagem do tempo é tão pesada
Que não cabe na mala dessa vida.

E com a experiência da sua vida e o coração pulsante pelas coisas da sua geografia, do seu sertão de ontem e de hoje, Hélio Crisanto vai escrevendo seus poemas, tendo como temas os mais variados assuntos e peculiaridades desta terra árida e fértil de lembranças. Flora e fauna são telas constantes em suas estrofes. Há lirismo, humor, política, cidadania, patriotismo, fé, romance e muito mais. Como leitor eu fiz a minha lista dos melhores poemas desse livro. Ei-la:
1) Amanhecer caboclo
2) Na minha infância era ssim
3)Nordestinês
4)Meu passado infantil não foi bonito mas eu sinto prazer em recordar
5)No sítio de João Bezerra
6)O filme do tempo
7)Casa de matuto
8)Doenças do meu sertão

Hélio Crisanto vive em Santa Cruz/RN - quem desejar adquirir o livro diretamente com o autor basta escrever para helicrisanto@bol.com.br/ crisantino30@hotmail.com.