domingo, 7 de junho de 2009

O TRIO JUNINO



Estavam lá reunidos, todos os três, sentados numa nuvem Pedro, João e Antônio, três homens santos, três queridos do povo brasileiro.
Lá de cima eles olhavam a imensidão deste país continental chamado Brasil e sentiam-se orgulhosos de saber que durante o mês de junho, seriam celebrados intensamente.


O motivo da reunião era exatamente este: definir as datas para a celebração de cada um. Pedro, por ter sido apóstolo do Mestre foi logo sentenciando que desejava ser o último, João, argumentou que era primo do Messias e por isto achava-se no direito de ser o segundo na escala. Como se ver, sobrou para Antônio ser o primeiro.
Mas, quando aconteceriam estas festividades? Depois de muita conversa eles definiram três datas: treze, vinte e quatro e vinte e nove de junho. Antonio gostou da data a ele atribuída, Pedro também não fez nenhuma questão, mas, quanto a João, já não podemos afirmar o mesmo.
__Qual o problema João? Perguntou Pedro.
__A minha festa não podia ser em outra data? Quis saber João.
__Como outra data? Nós já escolhemos treze, vinte e quatro e vinte e nove. Lembrou Antônio.
__Eu sei, é que esta data de vinte e quatro não cai bem não naquele país. Falava João e apontava para o Brasil. Eu conheço aquela gente, eu sei quanto ela é sarcasta, de tudo zomba.
__ E o quem pode haver de zombaria em vinte e quatro? Quis saber Pedro.
__Viado. Vinte e quatro é número de viado no Brasil!
Antonio e Pedro riram de João Batista. Como podiam imaginar que um santo, precursor de Jesus Cristo pudesse estar preocupado com algo tão banal.
__João, não se preocupe com isto meu irmão. Treze também é dito por eles como dia de azar, mas Antônio nem sequer comentou...
__Êpa! Se treze é azar, eu também não quero esta data. Confesso que não sabia disto. Falou Antônio já com a cara trancada.
Pedro que sempre teve pavio curto, homem de temperamento forte, percebeu que estava perdendo o controle da reunião e resolveu sentenciar:
Santo Antonio falou, São João argumentou e eu (batendo no peito) São Pedro confirmei que as datas são estas que Jesus Cristo mandou.
Se São Pedro não tivesse encerrado ali aquele encontro, até hoje o povo brasileiro estaria sem saber em quais datas comemorariam estes três personagens da história cristã.