quinta-feira, 11 de junho de 2009

THEO E O PIERCING


Theo chegou para mim e falou: __Papai estou usando um piercing! Ele achava que eu iria brigar com ele. Olhei e como não vi nenhum objeto estranho no seu rosto, pensei: "Ele teve Ter colocado este piercing no saco". Tive a coragem de perguntar: __Onde você o colocou? __Aqui papai, debaixo da língua. Agora eu me pergunto e ficaria feliz se vocês pudessem me responder: Pra que danado servirá um metal debaixo da língua? Aumenta a longevidade? Deixa a pessoa mais potente? Desenvolve e aguça a inteligência? Fará por acaso com que portas se abram mais facilmente ao sucesso? Enfim, digam-me prá que servem os piercings? Longe de mim condenar Theo. Nem ele, nem ninguém. Ele é adolescente. Está vivendo uma fase belíssima. Vive com outros dois irmãos, numa outra casa, com sua mãe. Eu sei que ele tem um trauma, e eu sou culpado, só eu e mais ninguém, por tê-lo chamado de José Theodoro de Macedo Neto. Ele não agüenta carregar este nome. Quando lhe perguntam o nome, ele responde graciosamente: Theo. __Só isto, Theo? __Não. Isto é apenas a abreviatura do trauma. O trauma completo é José .... Mas, será isto que o impulsiona a buscar e aplicar adornos corporais (body piercing)? Em tudo isto, só gostaria de dizer a este meu filho, que tenha cuidado. Tome precauções, observe se não há dor nem inflamações. Cuide da sua saúde. Eu li que todo piercing no corpo é representação de um culto pagão. Os piercings são originários da Índia há muito tempo. Há quem afirme que colocar um piercing é abrir uma oportunidade para que o mal controle sua vida. Será que isto é verdade? Não acredito. Mas aconselho a Theodoro, meu querido filho de 16 anos a ficar mais perto de Deus e deixar que em sua alma seja tatuado o selo do Espírito Santo. Está lançado o desafio. Afinal, o próprio nome Theodoro significa: dado por Deus.