terça-feira, 19 de abril de 2016

HOMENAGEM A PEDRO SIMÕES

Era uma vez ...
 
Pedro Simões Neto  o idealizador da Academia Cearamirinense de Letras e Artes - ACLA  que completaria 72 anos no último dia 14 de abril. Infelizmente ele já não vive entre nós, partiu deixando saudades, mas a semente de que a cultura pode fazer muito por um povo. Tinha em minha mente fazer uma homenagem em sua memória no dia do seu aniversário, entretanto não foi possível publicá-la. Faço-a hoje, dentro de abril, mês que trouxe a este mundo Pedro Simões Neto, e vou buscar nos poemas do seu pai Percílio Alves de Oliveira, as palavras. Ei-las:

ESCUTA FILHO MEU

Escuta, filho meu,
Tu  que começas a trilhar o caminho da vida,
Com o pequenino coração cheio de sonhos,
Esperando encontrar somente rosas e luz!
...
Vale a pena viver, meu filho!
A vida é maravilhosamente bela,
Quando vivemos em paz
Com as nossas consciências
E acolhemos no nosso coração
Um pouquinho que seja, do sofrimento
Dos nossos irmãos.
 
Na vida, só deixaremos o bem que fizemos.
 
Aos 11 anos o pai escreveu para ele o poema 
ODE A UM  FILHO
 
Como é diferente o undo em que vives,
Filho querido de minha alma!
Ele não tem guerras, 
Ódios, ambições e injustiças
Julgas que dormes num paraíso,
Quando o mundo que te cerca,
É hostil e traiçoeiro .
 ...
 
Mas tarde, Dr. Percílio escreverá outro poema ao filho, desta vez quando ele completou 16 anos.

MANDAMENTOS
 
Amarás o senhor teu Deus
E o encontrarás nas flores
Ou nos altares, nas estrelas do céu,
Na tranquilidade
Da consciência sem remorsos,
Nas sementes do bem que espalhares
Sobre a terra,
Nas mãos calejadas
Do trabalho heróico e anônimo,
Ou nos teus olhos cansados,
Pousados nos livros
Que são os instrumentos 
Do teu trabalho quotidiano,
Arados a revolver e semear
A terra da tua mente inculta,
Preparando a colheita futura
Da bondade e da beleza.
....
 
Trouxe esses fragmentos dos poemas para mostrar o quanto a poesia é forte. Aqui notamos que o poeta e pai Percílio Alves de Oliveira soube desde cedo plantar na alma de Pedro Simões Neto a beleza da poesia e usá-la como testamento do seu amor e preocupação para com o filho. 
E se muito podemos escrever sobre Pedro Simões Neto poderemos também terminar esta homenagem dizendo:
 
E viveu Pedro feliz para sempre!

Referência:

OLIVEIRA, Percílio Alves de. O Colecionar de Esmeraldas. Natal:  Nossa Editora, 1983