quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

O HUMOR DE MANÉ BERADEIRO


Mais um causo que tem como palco a cidade de Assu. A história de hoje tem como artista principal ALMÁQUIO. O tempo foi naquele em que a inflação habitava os quatros cantos deste país de forma galopante. Pois bem, ALMÁQUIO foi fazer uma farra no cabaré. Procurou o mais chique da cidade. Bebeu, jantou, dançou e foi até para os "finalmentes" com aquela que o acompanhava. Depois pediu a conta. A dona do cabaré lascou uma cifra gigantesca e ainda por cima. mesmo sem ALMÁQUIO perguntar nada, ela foi logo dizendo:
--Agora, por conta do aumento da gasolina não podemos cobrar menos. Tem que ser assim.
ALMÁQUIO pagou, nada reclamou. Quando estava saíndo, a dona da pensão, sentindo que a facada fora grande e que corria o risco de perder um freguês, falou toda carinhosa:
--Marquinho quando você volta?
ALMÁQUIO respondeu na bucha:
--SÓ QUANDO TIVER XIBIU À BUJÃO DE GÁS. PORQUE À GASOLINA SAI MUITO CARO...!

São causos da nossa terra, pérolas colhidas por Mané Beradeiro na literatura potiguar.

Fonte: Causos 2001, de Valério Mesquita, páginas 48 e 49. Edição 2001