quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

UM ANO PARA SER E FAZER DIFERENTE: DEPENDE DE VOCÊ

Terminamos mais um ano. Os homens são sedentos pelas frações do tempo, quer sejam em séculos, décadas, anos, meses, dias, horas, minutos, segundos. Isto vem de longe, duma época bem distante. Contar os dias é algo tão peculiar do ser humano, assim como é próprio do rio correr à foz.
Mas os grandes, aqueles que constroem um mundo a parte e vivem numa dimensão muito mais superior, não se preocupam com o fator tempo, aliás no que tange ao transcendental o cronos não existe.
Há pessoas que passam por aqui muitos anos, no entanto, nada edificam, são adeptos da pior filosofia da existência: a normose, que assim é definida pelo grande mestre Hermôgenes: “Os maus hábitos cristalizados como normais pela sociedade, tais como o consumismo e a corrupção”.
E o pior é que a grande maioria segue a normose e não sabe. São escravos sem horizontes a libertação. Que em 2010 sejamos capazes de fazer um ano diferente em nossa vida. Sejamos idealistas e não e apenas sonhadores, pois a diferença entre este e aquele é que o idealista luta para realizar aquilo que sonha.
Que os homens possam no ano vindouro ser mais poetas, cantar a vida, viver a fé. Que cada mulher cultive durante todo o ano novo não apenas a beleza exterior, mas sobretudo a interior.
Que os pais tenham sabedoria para transmitir aos filhos. Que os professores, ah! os mestres, bem a eles desejamos um 2010 paradisíaco. Aos jovens deixamos a tarefa para que cada um possa vir a obedecer a si mesmo, não sem freios, sem limites, sem horizontes, mas com foco. Pois aquele que não obedece a si mesmo é regido pelos outros.
E às crianças, tesouro de cada lar, que para elas haja em 2010 uma Civilização de Amor. Feliz Ano Novo!

(Francisco Martins, publicado na coluna Vale das Letras, no blog: www.chamine2.blogspot.com em 30 de dezembro de 2009)