quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

DUAS ANCIÃS

Eu vi duas senhoras sentadas.
Duas anciãs, num banco da Praça Paz de Deus.
As duas tinham cabelos brancos, pareciam flocos de algodão.

As duas tinham rugas, que serpenteavam nas faces, tais quais rios que correm para a eternidade.

Eu vi duas senhoras sentadas.
Uma tinha a aparência que a vida já havia passado,
a outra trazia no rosto a esperança de que amanhã viveria mais e mais.

Parnamirim - RN, 05 de julho de 2007

(livro: Degustando Poesia, página 78)